Depois da Huawei, outra empresa Chinesa entra na mira dos EUA

Depois da Huawei, outra empresa Chinesa entra na mira dos EUA

30 Junho, 2020 0 Por Joel Pinto

Todos conhecem os problemas que a gigante Chinesa Huawei tem sofrido com as sanções impostas pelo governo dos EUA. A Casa Branca acredita, e afirma ter provas, de que a Huawei faz espionagem em favor do governo Chinês, e por esse motivo, é que a empresa tem imensas dificuldades em negociar com empresas dos EUA. Agora, uma nova empresa entra nos radares dos EUA, a Nuctech.

É bem provável que esse nome não lhe diga nada, mas é uma empresa que a sua principal área de negocio são os sistemas de segurança aeroportuária, por exemplo, os Scanner de bagagem. Agora, os Estados Unidos, através do Conselho de Segurança Nacional, afirmam que a Nuctech está a espionar para o governo chinês. Assim, pede-se aos países um pouco por todo o mundo, incluindo da Europa, que não comprarem mais técnicas da Nuctech.

Nuctech na mira do governo dos EUA

Novamente, não foram fornecidas evidências para as alegações. A crítica é que a Nuctech poderia oferecer preços desproporcionalmente baixos para os seus scanners, porque a empresa é subsidiada pelo governo chinês. Para isso, a Nuctech passa informações confidenciais sobre passageiros e listas de carga para a China. A empresa já não pode fornecer produtos aos Estados Unidos desde 2014, e a empresa, como não podia deixar de ser, rejeita todas essas alegações.

A Nuctech já teve alguns problemas na UE, não por causa de uma suposta espionagem, mas por causa dos preços do dumping, o que levou as autoridades da concorrência a intervir, isto em 2010. As autoridades norte-americanas insinuam que a Nuctech é dominante no mercado, o que seria bastante difícil de provar. Basicamente, o caso é semelhante ao da Huawei.

FONTE

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.