Zoom com segurança reforçada, mas não é para todos

Zoom com segurança reforçada, mas não é para todos

31 Maio, 2020 0 Por Joel Pinto

A aplicação do Zoom ganhou popularidade muito rapidamente com medidas de contenção tomadas pelos governos para conter a pandemia do Covid-19. Esta exposição também terá levantado uma série de problemas, em particular problemas de segurança e de ética.

Se deseja que as suas videochamadas feitas pelo serviço Zoom sejam as mais seguras possível, talvez seja necessário pagar por isso, já que parece que a plataforma planeia oferecer criptografia mais poderosa aos seus clientes pagantes, bem como a empresas e instituições como escolas, mas não a contas gratuitas.

A informação vem de Alex Stamos, um consultor de segurança do Zoom, que revelou isso ao pessoal da Reuters. Observe que isso é apenas uma possibilidade, e ainda não é um dado adquirido. Portanto, isso ainda pode mudar. E ainda não se sabe se organizações sem fins lucrativos, dissidentes e similares poderiam obter excepções. Muitos "factores tecnológicos, de segurança e puramente comerciais" foram levados em consideração ao chegar ao desenvolvimento dessa ideia. A criptografia completa impossibilitaria as equipas do Zoom de proteger contra possíveis abusos em tempo real e impossibilitaria a participação através de um número de telefone padrão.

Zoom: segurança melhorada pode não ser para todos

O Zoom melhorou continuamente a sua segurança desde a explosão de sua popularidade com a pandemia de Covid-19. Muitas críticas foram feitas contra a plataforma. Em relação a essa ideia de criptografia em duas velocidades, Gennie Gebhart, da Electronic Frontier Foundation, considera já perigoso. Teoricamente, isso deixaria os utilizadores da versão gratuita vulneráveis. A privacidade valeria menos para um utilizador do programa gratuito. Para Jon Callas, da União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU), esse seria um bom compromisso, apesar das frequentes posições da associação contra o enfraquecimento da criptografia em geral.

O facto é que, como disse um porta-voz da Zoom ao pessoal do Engadget, essa estratégia ainda não foi corrigida. Por outras palavras, pode ser que nada disso seja implementado. Ao mesmo tempo, o Zoom lançou a criptografia AES de 256 bits para todos os utilizadores.