E porque não otimizar a sua rede Wi-Fi com QoS? a TP-LINK ajuda a fazê-lo

E porque não otimizar a sua rede Wi-Fi com QoS? a TP-LINK ajuda a fazê-lo

11 Abril, 2019 0 Por Ricardo Preto Pacheco

Se gosta de jogos online, certamente já se deparou com latência na rede, dificultando a sua experiência de gaming. Mesmo para o utilizador que não gosta de jogos, o buffering em streaming de vídeo é, muitas vezes, uma realidade penosa.
No entanto há medidas que podem ser tomadas para melhorar a sua utilização de vários serviços online. Um deles, presente nos routers SOHO da TP-Link são os QoS, sigla que significa Quality of Service e que é traduzível em Qualidade do Serviço.

Certamente que alguns de vós estão neste momento a questionar: O que é o QoS?

Tal como o nome sugere, é um mecanismo que garante a qualidade da sua rede. A medição dos QoS respeita a vários indicadores técnicos. Por exemplo, a largura de banda disponibilizada, a perda de pacotes, erros, latência e jitter (variação da latência que pode afetar gravemente a qualidade de streaming de voz e vídeo).
Com o QoS é possível assegurar largura de banda para os serviços críticos em situações de capacidade de rede limitada.

E porque devemos nós utilizar o QoS?

Sem QoS a Internet funciona como um sistema em esforço, tentando tratar de forma equilibrada todos os tipos de dados, e em simultâneo. Com a diversificação de serviços em utilização diária constante, o risco de tráfego congestionado torna-se uma realidade.
Sem a gestão diferenciada dos dados, aplicações de menor importância poderão utilizar demasiada largura de banda, levando a que as aplicações mais relevantes para si tenham um desempenho bastante abaixo do necessário.

É aqui que o QoS marca a diferença. Na prática o QoS atribui diferentes prioridades a diferentes aplicações e gere cada uma segundo a prioridade definida. Desta forma os pacotes de dados mais importantes são geridos primeiro e é-lhes atribuída uma determinada largura de banda. E essa gestão é feita em tempo real.
Com os QoS pode assegurar que o streaming do vídeo que está a ver no seu portátil, por exemplo, seja a prioridade da sua rede, deixando para “segundo plano” tudo o resto, até mesmo aquele download que está a fazer no tablet.

E como funciona o QoS?

O modelo de serviço mais utilizado em QoS é o Serviço Diferenciado (abreviado como Diff-Serv, do inglês Differentiated-Service) que permite diferenciar processos e alocação de largura de banda a fluxos de data específicos.

Mas como funciona, especificamente? Os dois passos mais importantes para o modelo Diff-Serv são:

  1. Classificação e marcação
  2. Ordenar

1. Classificar e Marcar

Os pacotes de dados são classificados e marcados com tags de forma a que o router consiga identificar os seus níveis de prioridade. Esta é a condição principal para serviços diferenciados. Tal como nas entregas expresso, pacotes com a tag “urgente” são tratados com prioridade máxima, e como consequência da forma mais rápida.

2. Ordenar

Com bases na sua classificação, estes pacotes são colocados em diferentes filas segundo certas regras, aguardando o processamento. São designadas prioridades e largura de banda especificas, de acordo com a classificação. Desta forma a divisão da largura de banda é assegurada de forma apropriada. Por exemplo, dados com a prioridade mais elevada (por exemplo, gaming) é enviada primeiro, sendo reservada e garantida 60% da largura de banda para este serviço.

Quando é que o QoS é relevante para o utilizador?

A qualidade da rede é influenciada por uma grande variedade de fatores e o QoS apenas endereça alguns deles. Saber o que cria maiores restrições na sua rede é de grande relevância. Aqui ficam alguns conselhos:

  1. Se a velocidade baixa de acesso à internet estiver diretamente relacionada com uma largura de banda total disponibilizada pela operadora (ISP, de Internet Service Provider), então o QoS poderá não ajudar muito. Não é expectável que uma rede de 20Mbps tenha o mesmo desempenho que uma rede de 100Mbps.
  2. O QoS tem um maior impacto no tráfego de internet, sendo pouco relevante o tráfego na sua rede local, a intranet. Quer isto dizer que o impacto será sentido nos dados que transitam entre a sua LAN (de Local Area Network ou Rede da Área Local) e a internet.
  3. Se na sua LAN houver uma utilização massiva de serviços de internet, seja através da existência de vários utilizadores em simultâneo ou várias atividades online, o QoS poderá ser bastante útil, realocando recursos da largura de banda de acordo com as suas necessidades, aumentando a performance de aplicações e/ou dispositivos críticos.

Quality of Service

É nesta fase que entra o Homecare QoS dos router TP-Link

O QoS é uma das três funções do Homecare e oferece serviços de priorização por Aplicação e por Dispositivo.

  • Prioridade de Aplicação:
    • Pode otimizar a sua rede definindo prioridade (Alta, Normal ou Baixa) para as suas atividades favoritas, como gaming, streaming, chatting e surfing. Pode, por exemplo, definir como alta e baixa prioridades respetivamente para chatting e gaming, para que tenha uma chamada em conferência no Skype sem interrupções, enquanto os seus filhos jogam na consola.
  • Prioridade de Dispositivo:
    • Pode definir como prioritário um dispositivo específico a partir da lista de dispositivos que acedem à internet, por um certo período de tempo. Por exemplo, pode definir o seu portátil profissional para ser sempre o dispositivo prioritário. Desta forma não verificará lentidão nos acessos à internet quando há vários dispositivos ligados em simultâneo, permitindo-lhe trabalhar sem lentidão ou quebra de rede.

Como configurar o QoS?

O QoS pode ser uma grande ajuda para melhorar a performance da sua rede, gerando maior estabilidade e fiabilidade no serviço mais importante a cada momento.

Se pretende saber como configurar os serviços QoS no seu router TP-Link, poderá verificar a FAQ da TP-LINK “Using HomeCare QOS features in a TP-Link Router”. A fabricante, mais uma vez elaborou um excelente tutorial “passo a passo” para ajudar a configurar o HomeCare QOS. Conforme pode ver aqui, não é preciso ter muitos conhecimentos técnicos para fazer uma configuração mais adequada às suas necessidades.

 

Resumindo: O QoS permite-lhe determinar que dispositivos ou serviços terão uma utilização prioritária da largura de banda que o operador lhe disponibiliza, conforme as suas necessidades. Se na sua LAN existirem vários serviços a competir por essa mesma largura de banda, o QoS será uma enorme ajuda a gerir as necessidades de cada um.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.