EUA preparam-se para encostar a Honor "à Box"

EUA preparam-se para encostar a Honor "à Box"

16 Outubro, 2021 Não Por Joel Pinto

A Honor sempre teve associada à Huawei, que infelizmente atravessa uma fase muito complicado, e tudo por causa das sanções que foram aplicadas pelo governo dos EUA. Como o sufoco era, e é, muito grande, a gigante da China decidiu desfazer-se da Honor, que assim traçam o seu próprio caminha, e de forma totalmente independente... pelo menos no papel.

Depois de se separar da Huawei, a Honor começou a trabalhar nas suas próprias linhas de equipamentos, e muito recentemente chegou uma noticia que muitos esperavam, que os seus smartphones seriam lançados com as aplicações, e serviços da Google. Acontece que isso pode não durar muito tempo.

Quem acompanha o Noticias e Tecnologia, sabe que desde sempre achamos que a venda da Honor, por parte da Huawei, fosse uma farsa, e isso realmente só deverá ter acontecido no papel, já que a meu ver, a empresa continua a operar sob a batuta da Huawei. A provar isso está o design dos seus equipamentos, são em tudo muito semelhantes, e mais recentemente falamos aqui do Honor 50 Lite, que é a "alma gémea" do Huawei nova 8i.

Bem, e pelo que parece, os senadores dos EUA também acham que as empresas não estão efectivamente separadas, e a Honor continua a ser uma ameaça para a segurança do país. Como tal, fizeram um pedido do presidente Biden, com carácter de urgência, para colocar a empresa na lista negra.

Joe Biden Honor

Honor poderá em breve ingressar na lista negra dos EUA

Segundo os mesmos, os esforços levados a cabo pelos Estados Unidos em proibir a Huawei, serão em vão se não derem o mesmo tratamento à Honor. Numa carta Em carta conjunta, os senadores dizem que o governo chinês pode usar a tecnologia norte-americana sem qualquer tipo de restrição:

Se não agir em resposta, o Departamento de Comércio corre o risco de criar um precedente perigoso e comunicar aos adversários que não temos capacidade ou força de vontade para punir a evidente engenharia financeira de um regime autoritário” - diz a carta enviada ao presidente dos EUA .

Segundo está a ser avançado pelo Reuters, o mais certo é que este pedido seja concedido, só não se sabe se será para a semana, para o mês que vem, ou para o ano. Por agora, resta-nos esperar por novas informações, mas tudo aponta para que a Honor passe a fazer parte da lista negra dos EUA, e assim ter o mesmo tratamento da Huawei.