Análise Xiaomi 11T Pro: Desempenho e poder de carregamento imbatíveis

Análise Xiaomi 11T Pro: Desempenho e poder de carregamento imbatíveis

22 Dezembro, 2021 0 Por Joel Pinto

Enquanto não é oficialmente anunciado o Xiaomi 12, que deverá ser anunciado no próximo dia 28 de Dezembro, o Xiaomi 11T Pro é o mais recente topo de gama da empresa Chinesa. E como não podia deixar de ser, tivemos a oportunidade de utilizar este equipamento durante sensivelmente 3 semanas, para que fosse possível fazer esta análise.

Este é o primeiro topo de gama da empresa, a ser disponibilizado em Portugal, sem o habitual Mi, e assim se manterá nos restantes equipamentos da empresa daqui em diante.

Em termos de design estamos perante um telefone que é diferente do Xiaomi Mi 11, já que aqui a empresa decidiu fazer alguns ajustes de modo a colocar este equipamento, numa faixa de preço um pouco mais baixa. Por exemplo, ele conta com um acabamento em plástico, de boa qualidade, mas é plástico, mas isso não lhe tira o selo de topo de gama.

Outra nota de destaque é que o Xiaomi 11T Pro conta com o seu sensor de impressão digital montado no botão Power, algo que não tem sido muito habitual nos topos de gama, mas confesso que algo que não atrapalha, e alem disso, o sensor tende a ser bem mais responsivo do que aqueles que temos nos ecrãs dos telefones. E já que falamos em ecrãs, fique a saber que o ecrã deste Xiaomi 11T Pro, é composto por um painel AMOLED de 6,67 polegadas com a resolução FullHD+, com 2400x1080 pixeis, e uma taxa de refrescamento de 120Hz.

De um modo geral as suas cores são precisas, vibrantes e sem parecer irrealistas. Alem disso, ele conta com uma configuração adaptável que se ajusta automaticamente com base na luz ambiente, e temos muito espaço para ajustes adicionais usando perfis de temperatura de cor personalizados. O brilho máximo não é tão bom como em outros topos de gama, mas o conteúdo HDR ainda aparece e o ecrã é perfeitamente utilizável em espaços exteriores sob a luz solar directa.

Xiaomi 11T Pro

Já na fotografia a Xiaomi manteve as coisas relativamente simples. Por exemplo, não temos qualquer sensor de profundidade, não temos um sensor telefoto dedicado, mas temos um sensor com 108MP. Temos ainda um sensor ultra grande angular de 8MP e um sensor Macro de 5MP. Em termos práticos, os resultados do sensor grande angular são de qualidade visivelmente inferior do que aqueles que conseguimos com o sensor principal, e a exposição e o equilíbrio de cores não são tão precisos. No entanto, ele consegue capturar muito mais de uma determinada cena do que o sensor principal, como tal, ainda acaba por ser útil. É improvável que o seu modo Super Macro seja tão utilizado como o sensor ultra grande angular, já que ele não produz imagens sobrenaturais como vemos em outros equipamentos, mas o foco automático permite que faça close-ups agradáveis ​​e limpos com pouco esforço.

Já o sensor de 108MP é o verdadeiro evento principal, usando pixel-binning para produzir imagens impressionantemente detalhadas para um dispositivo nesta faixa de preço. A faixa dinâmica é bem tratada, mesmo em cenas com grandes variações de iluminação, e na grande maioria das vezes, as cores são precisas. Há também uma quantidade agradável de bokeh natural ao fotografar retratos, sem ter que activar esse modo dedicado.

A precisão da cor por vezes pode necessitar de ser acertada, então ocasionalmente parece muito vibrante ou um pouco desbotada. A inconsistência pode ser frustrante, mas as imagens geralmente parecem agradáveis ​​e realistas. O Xiaomi 11T Pro também não conta com estabilização de imagem, o que significa que são necessárias mãos firmes para os resultados mais nítidos em condições de pouca luz. O ruído surge rapidamente - mais rápido do que era esperado, dada a contagem de pixeis - mas activar o modo nocturno dedicado contribui muito para neutralizá-lo.

Se em termos de fotografia ele não é realmente um campeão, apesar de ser bom, o mesmo não pode ser dito em relação ao seu desempenho. É que o Xiaomi 11T Pro é um verdadeiro cavalo de corrida. Ele conta com o Snapdragon 888, que ainda é o chip mais poderoso da Qualcomm presente no mercado. O modelo que testamos conta com 8GB de RAM LPDDR4X, que são mais do que suficientes para tudo o que possa querer executar num smartphone Android.

Aplicações e jogos são todos executados de forma muito suave e sem qualquer problema, mesmo aqueles que são mais pesados. Os jogos mais exigentes são executados com todos os detalhes, e tudo flui perfeitamente... nada falta a este smartphone em termos de desempenho. Como sempre, deixo aqui os resultados no Antutu, para que sirvam para referencias futuras:

Em termos de software, temos o MIUI 12.5, que é baseado no Android 11. Confesso que não sou o maior fã do MIUI, apesar de admitir que a empresa tem feito muitos progressos nos últimos anos. No entanto, a Xiaomi continua a enviar bloatware com os equipamentos, apesar de ser verdade que podemos facilmente desinstalar o mesmo, mas era completamente dispensável.

Se o bloatware é algo que me desagrada no MIUI, o trabalho feito pela Xaiomi no mesmo demonstra que a sua interface está muito bem "desenhada" para o hardware, e isso nota-se bem no consumo energético.

Este equipamento tem uma bateria de 5000mAh, que na verdade são 2 baterias de 2500mAh, e isso trás muitas vantagens para os utilizadores. A mais impressionante? a velocidade de carregamento de 120W. O que isso significa? É muito simples, é possível carregar totalmente a bateria do Xiaomi 11T Pro (dos 0 aos 100%) em apenas 17 minutos.

Este equipamento tem uma bateria mais do que suficiente para durar um dia inteiro, mesmo com uso intensivo. Mas quando é preciso carregar, o carregador não desanima. Alem disso com esta velocidade de carregamento não precisam de deixar o telefone no carregador a noite inteira. Quando acordarem, metem o telefone no carregador, vão-se despachar (WC, vestir, etc) e garantidamente quando tiverem prontos, o telefone está com 100% de bateria.

Não posso terminar esta análise sem revelar que o Xiaomi 11T Pro conta com altifalantes estéreo ajustados pela Harman Kardon. Eles têm bastante potência e, embora faltem graves, produzem um palco sonoro impressionante, que não o deixará instantaneamente à procura do par de fones de ouvido.

Xiaomi 11T Pro

Veredicto Final Xiaomi 11T Pro

Este Xiaomi 11T Pro custa actualmente cerca de 650 euros no mercado nacional, e faz dele um dos topos de gama mais baratos que temos no mercado. O seu ecrã é bom, o seu desempenho é brutal e o seu carregamento rápido é algo que até hoje não temos melhor no mercado.

O seu elo mais fraco é mesmo ao fotografia. Não estou a dizer que ele é mau, nem perto disso, mas não está ao nível daquilo que nos oferece um topo de gama de outras marcas. Mas ainda assim os seus sensores oferecem um desempenho muito interessante, e que não lhe vai causar qualquer preocupação.

Como tal, a nossa nota para este equipamento é a segunda mais alta que podemos atribuir:

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.