Xiaomi responde a acusações de recolha de dados dos utilizadores

Xiaomi responde a acusações de recolha de dados dos utilizadores

3 Maio, 2020 0 Por Joel Pinto

Um especialista em segurança cibernética afirmou que o navegador padrão que chega com os smartphones da Xiaomi rastreia os utilizadores, mesmo que estes optem pela navegação em modo anónimo. Já anteriormente outro especialista da área, Gabi Cirlig, tinha citado esse problema onde alegava que o Mi Browser do seu Redmi Note 8 o estava a rastrear. “É um backdoor com funcionalidade de telefone”, disse o mesmo sobre o seu novo telefone da Xiaomi.

Em resposta a essas acusações, o Xiaomi Índia, através do seu vice-presidente global, Manu Kumar Jain, disponibilizou uma declaração detalhada sobre essa situação. Basicamente, a fabricante chinesa rejeita a alegação, revelando mesmo que a Xiaomi não recolhe dados sem a permissão dos utilizadores.

Mas basicamente a Xiaomi afirma:

“Em todos os mercados globais em que a Xiaomi está oficialmente presente, a Xiaomi pretende oferecer a melhor experiência possível ao utilizador, aumentando a compatibilidade entre o sistema operativo e as várias aplicações, além de assumir a obrigação de proteger a privacidade do utilizador, e todos os dados de uso recolhidos são baseados na permissão, e consentimento, dados explicitamente pelos nossos utilizadores. Além disso, garantimos que todo o processo seja anónimo e criptografado. A recolha de dados estatísticos de uso agregado é usada para análise interna e não vinculamos qualquer informação de identificação pessoal a nenhum desses dados. Além disso, esta é uma solução comum adoptada por empresas de Internet em todo o mundo para melhorar a experiência geral do utilizador de vários produtos, enquanto protege a sua privacidade e segurança de dados”.

Recolha de dados da Xiaomi é autorizada pelos utilizadores

Se verificarmos o vídeo que deixo acima, Andre Tierney diz:

“O Xiaomi Mint Browser (e vários outros produzidos por eles) enviam os URLs que visita para servidores remotos – enquanto está no modo de navegação normal, ou no modo de navegação anónima. Eles estão associados a um UUID que é o mesmo dia-a-dia e o mesmo entre a navegação normal e a navegação anónima. ”

Xiaomi Recolha de dados

Outras informações dão conta de que os telefones da Xiaomi também estão a gravar as pastas que os utilizadores abrem no seu ecrã, e em que ecrãs o utilizador navegou, incluindo a barra de status e a página de configurações. É dito que todos esses dados estavam a ser empacotados e enviados para servidores remotos em Singapura e Rússia, embora os domínios da Web hospedados estivessem registados em Pequim.

Acho é que está na altura dos utilizadores lerem as condições de utilização das aplicações, antes de aceitarem de olhos fechados. Todas as empresas o fazem, de forma mais ou menos intrusiva, mas fazem.

Joel Pinto
 | Website

Fundador do Noticias e Tecnologia, e este foi o seu segundo projeto online, depois de vários anos ligado a um portal voltado para o sistema Android, onde também foi um dos seus fundadores.