Teste de resistência mostra que Nothing Phone (1) é um osso duro de roer

Teste de resistência mostra que Nothing Phone (1) é um osso duro de roer

31 Julho, 2022 0 Por Joel Pinto

Nothing Phone (1) é o mais recente smartphone do ec-CEO da Oneplus, que faz do design particular (construído em torno da parte traseira transparente e dos 900 LEDs da interface Glyph) a sua principal arma, porém os utilizadores interessados ​​em comprá-lo não apenas admirarão os seus encantos estéticos, mas também quererão saber como se comporta no dia a dia.

Nos últimos foi revelada uma desmontagem do Nothing Phone (1) e foi-lhe atribuída uma pontuação de reparabilidade que não é empolgante. No entanto, num novo teste de resistência feito ao equipamento, é possível reconhecer o Nothing Phone (1) tem uma resistência bastante satisfatória.

O teste de resistência de JerryRigEverything (aka Zack Nelson) é um grande clássico deste sector, uma espécie de rito de passagem que marca a chegada ao mercado de novos smartphones. Nem o Nothing Phone (1) escapou dessa tradição e para quem já estava preocupado com a delicadeza de tal design, posso já dizer que temos boas noticias: o primeiro smartphone do Nothing é um osso duro de roer.

Nenhuma surpresa no teste de resistência da Escala de Mohs, um critério para avaliar a dureza dos materiais: a tampa dupla face feita de Corning Gorilla Glass 5 comporta-se exactamente como esperado; não há sequer uma película protectora no plástico pré-aplicada. A estrutura lateral do smartphone é feita de alumínio (100% reciclado), enquanto a certificação IP53 contra água e poeira não é um resultado empolgante.

No teste de fogo, Nothing Phone (1) reage a partir de OLED: torna-se branco quando exposto à chama e, em seguida, recupera quase completamente o seu funcionamento normal. Falando no que se esconde sob o ecrã, o bom Zack, com as pontas dos dedos visivelmente arruinadas pelo trabalho manual, não consegue fazer o leitor óptico de impressões digitais deixar de funcionar.

Nothing Phone (1) causa boa impressão no teste de resistência

Para finalizar o teste de flexão : pressionando a lateral da tampa traseira, o smartphone não quebra; fazendo o mesmo na lateral da tela, você percebe um vinco perceptível em correspondência com as antenas e pode ouvir alguns rangidos internos não muito encorajadores que, no entanto, não se traduzem em danos visíveis.

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.