Terá a Netflix mudado de ideias em relação à partilha de contas?

Terá a Netflix mudado de ideias em relação à partilha de contas?

9 Março, 2023 5 Por Joel Pinto

Recentemente a Netflix proibiu a partilha de contas em alguns mercados (Portugal é um deles), fazendo com que cada utilizador fora da residência do titular da conta tivesse que pagar 3,99 euros para poder aceder à conta. Juntar isso à mensalidade já por si dispendiosa fez com que milhares de utilizadores, pura e simplesmente, tivessem cancelado a sua assinatura.

Agora, a Netflix parece ter removido essas novas regras contra a partilha de contas, já que as mesmas já não estão visíveis na página da central de ajuda da plataforma de streaming. Será isso um sinal de uma reflexão tardia? Pode ser, como também é provável que a Netflix mude tudo de novo nos próximos dias, como aconteceu anteriormente pelo mesmo problema: impedir que utilizadores permitam que os seus amigos, e outros utilizadores não pagantes, usem o serviço gratuitamente, e de forma ilegal.

A verdade é que atualmente apenas as seguintes palavras podem ser encontradas no centro de ajuda da empresa sobre a partilha de contas:

Uma conta Netflix destina-se a ser partilhada com uma família (um grupo de pessoas que moram no mesmo local que o titular da conta). Pessoas fora de sua família precisarão de se inscrever nas suas próprias contas para assistir à Netflix.

E mesmo abrindo a página onde a empresa explica o que é um agregado familiar, a Netflix nada mais diz do que a mesma informação que deixo acima, e exatamente nas mesmas palavras.

Diante disso, é natural questionar se a Netflix mudou de ideia sobre a partilha de contas, não tanto no sentido de se abrir para os (muitos) astutos que em Portugal, e em outros lugares, dividem os seus gastos para usar o serviço pagando menos, mas nas formas de controlo de utilizador que podem não ser permitidos na mesma plataforma.

Netflix arrependeu-se das regras que aplicou?

Há um precedente importante que legitima esta hipótese: o facto de alguns deputados do parlamento português, há cerca de um mês, terem questionado a legalidade, e o cumprimento das práticas com que a Netflix pretende controlar a partilha de contas. A verdade é que essas regras podem violar o regulamento de privacidade do GDPR (o regulamento geral de proteção de dados). Será que a empresa está com receio de uma multa avultada?

No entanto, estamos no campo das hipóteses, embora a decisão da Netflix de remover as novas regras contra a partilha de contas introduzidas há pouco mais de um mês possa ser indicativa de uma reanálise.

Joel Pinto
 | Website

Fundador do Noticias e Tecnologia, e este foi o seu segundo projeto online, depois de vários anos ligado a um portal voltado para o sistema Android, onde também foi um dos seus fundadores.