Mito: Será que os nossos smartphones nos ouvem mesmo?

Mito: Será que os nossos smartphones nos ouvem mesmo?

10 Abril, 2023 0 Por Joel Pinto

É uma crença comum entre milhões de utilizadores: que o smartphone em sua posse pode ser a causa de toda uma série de anúncios exibidos na rede, especificamente há aqueles que estão convencidos de que grandes empresas monitorizam constantemente o que é captado pelos microfones do dispositivo, usando essas informações para associar anúncios relevantes.

O fato de falar de um determinado produto na presença de um smartphone levar à visualização de toda uma série de anúncios relacionados a esse produto é apenas uma coincidência, ou melhor, uma ilusão por parte do utilizador.

O jornal britânico Daily Mail decidiu desfazer esse mito que, com o tempo, está cada vez mais difundido na rede; o jornal criou uma conta fictícia na Google, portanto não associada aos dados de um indivíduo real, acompanhada de uma conta falsa no Facebook para dar presença online a Robin, a pessoa inexistente que possui as contas.

Os colegas fizeram vários testes, conversando sobre temas e produtos na presença do smartphone especificamente utilizado para o teste e, após dois dias, o aparelho não ofereceu qualquer propaganda relevante para as discussões realizadas na sua presença: isso deveria ser prova suficiente do fato que os anúncios exibidos dependem de outra coisa e não de conversas captadas pelos microfones do dispositivo.

O gestor de segurança de rede da empresa sublinhou que não é necessário que o smartphone ouça as conversas dos utilizadores para depois propor anúncios relevantes, esta prática também seria particularmente dispendiosa para as empresas, que têm métodos muito diferentes para atingir os seus próprios fins.

Os utilizadores muitas vezes não percebem, mas os anúncios que veem dependem das pesquisas que fazem na web; por exemplo, ao pesquisar algum produto ou assunto na Google, você receberá sugestões de compras com base nessas pesquisas. Isso também se aplica, por exemplo, com a Google Store, ao colocar um produto no carrinho, mesmo sem comprá-lo imediatamente, começará a receber anúncios e conselhos sobre esse produto; o mesmo acontece com a Amazon, ao fazer qualquer pesquisa também começará a receber toda uma série de e-mails da empresa com conselhos para a compra de produtos similares.

Não, o nosso smartphone não nos espia

É uma prática normal, utilizada pelas empresas para traçar o perfil dos utilizadores e oferecer-lhes artigos do seu interesse com o único objetivo de aumentar as vendas, Google e Amazon são apenas dois exemplos aleatórios desta prática, adotada por praticamente qualquer empresa que atua neste setor. No entanto, os utilizadores têm o direito de decidir a não ser perfilados com essa prática, para isso basta aceder ao endereço myadcenter.google.com e verificar as opções relacionadas à gestão de privacidade, desativando o item Anúncios personalizados. A partir daí vai notar que não receberá mais recomendações com base nas suas pesquisas.

Portanto, pode ficar descansado e deixar de olhar com cautela para o seu smartphone enquanto ele está sobre a mesa e quando está a conversar com um amigo: O seu dispositivo não o espia.

Joel Pinto
 | Website

Fundador do Noticias e Tecnologia, e este foi o seu segundo projeto online, depois de vários anos ligado a um portal voltado para o sistema Android, onde também foi um dos seus fundadores.