Red Hat enterra o KDE

Red Hat enterra o KDE

4 Novembro, 2018 0 Por Joel Pinto

A Red Hat parece ter usado a notícia da sua aquisição pela IBM para esconder a informação de que estava a matar o KDE. No changelog do RHEL 7.6, aparece que a Red Hat disse que o KDE Plasma Workspaces (KDE), que foi fornecido como uma alternativa ao ambiente de desktop GNOME padrão, foi oficialmente enterrado.

"Reprovado" como usado no Red Hat Enterprise Linux é um aviso de que certas funcionalidades podem ser removidas ou substituídas no futuro. O Red Hat Enterprise Linux não suportará mais o uso do KDE em vez do ambiente de área de trabalho GNOME padrão.

Se estiver a usar o RHEL na área de trabalho, em algum momento o KDE deixará de será suportado. A Red Hat disse à imprensa que, com base nas tendências da base de clientes do Red Hat Enterprise Linux, existe um grande interesse em tecnologias de desktop como Gnome e Wayland, enquanto o interesse pelo KDE está a diminuir.

O KDE, assim como qualquer coisa listada no Capítulo 51 das notas de versão do Red Hat Enterprise Linux 7.6, continuará a ser suportado pela vida útil do Red Hat Enterprise Linux 7, atualmente planeado até 2024.

A Red Hat agora suporta o ambiente de desktop Linux GNOME, que é desenvolvido como um projeto independente de código aberto e também é usado por um grande grupo de outras distros. O KDE é o seu próprio projeto independente que continuará por conta própria, com ou sem o futuro RHEL, mas a bênção da Red Hat foi bastante importante.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.