Está a pensar trocar a bateria do seu Xiaomi? Precisa de saber disto

Está a pensar trocar a bateria do seu Xiaomi? Precisa de saber disto

27 Agosto, 2021 Não Por Joel Pinto

A Xiaomi parece estar a preparar-se para desencorajar os utilizadores a trocar a bateria do seu equipamento, por uma bateria que não seja original. A aplicação Mi Security 5.6.0 tem algumas linhas de código que apontam nesse sentido, mas vamos perceber melhor.

O pessoal do XDA descobriu uma mensagem na aplicação que será enviada aos utilizadores, se os seus equipamentos precisarem de uma nova bateria. Essa mensagem vem desencorajar os utilizadores a usar produtos de terceiros, e aconselha-os a procurar um agente autorizado, já que os produtos não certificadas podem causar danos ao dispositivo e utilizador.

A má noticia: não é uma simples mensagem, já que a mesma explica que se a bateria utilizada não for original, a empresa irá reduzir a sua velocidade de carregamento. E apesar de não ser do agrado dos utilizadores, isso faz todo o sentido, já que é sabido que as velocidades de carregamento atingiram velocidades impressionantes, e se não for uma unidade adequada, e certificada, a mesma pode aquecer em demasia e até "explodir".

bateria

Xiaomi vai alertar utilizadores que precisam de trocar a bateria do seu smartphone

A análise do código deu para concluir que a mensagem será apresentada, numa fase inicial, apenas na versão Chinesa dos Mi 9, Mi 10 e Mi 10 Pro, e por enquanto não há evidencias de que essa informação vá surgir nos equipamentos nos outros mercados... mas pessoalmente não considero uma má ideia.

Aqui fica a mensagem apresentada:

"Este dispositivo tinha uma bateria embutida que só deve ser substituída por um provedor de serviços autorizado. Substituir a bateria em outro lugar pode danificar este dispositivo. O uso de baterias não autorizadas pode fazer com que a bateria inche, superaqueça ou vaze; também pode causar incêndios e outros perigos. Não use baterias não autorizadas."

"A potência de carregamento foi reduzida para proteger o seu dispositivo."

Objectivamente, cumprir limites durante a fase de intervenção no dispositivo electrónico não é agradável, especialmente se é defensor do direito de reparação. É verdade que, com base na escolha de limitar o uso de baterias não autorizadas, poderia realmente haver razões legítimas por parte do fabricante que, portanto, deseja proteger-se de quaisquer danos (a coisas ou pessoas) decorrentes do uso indevido do produto - e uma notícia recente lembra-nos o quão sérios podem ser os efeitos de um smartphone que simplesmente se incendeia.