Não, a Netflix não reduziu a resolução dos seus streamings

Não, a Netflix não reduziu a resolução dos seus streamings

22 Março, 2020 0 Por Joel Pinto

Muito se tem falado sobre a redução da taxa de bits que a Netflix colocou um prática em toda a União Europeia, e que irá durar 30 dias. No entanto, parece que há milhares de utilizadores que não perceberam o que realmente foi feito. Muitos dizem que a Netflix mexeu nas resoluções dos filmes, outros dizem que mexeu na qualidade, mas afinal o que mudou?

Mas afinal o que mudou na Netflix? A resolução ou a definição?

Mas vamos tentar perceber melhor o que mudou afinal. Vemos regularmente as fabricantes de dispositivos como smartphones e televisões, utilizar os termos "definição" e "resolução" para destacar a qualidade dos seus equipamentos. Mas conhece a diferença entre os dois? Conhece? Atenção que muitas vezes as próprias fabricantes confundem os dois termos. Para piorar as coisas, as conferências de apresentação são realizadas em inglês, e o termo usado para as duas situações é realmente o mesmo, ou seja "resolution".
No entanto, algumas fabricantes utilizam uma fórmula ligeiramente diferente, falando em “resolução de ecrã" (para a resolução) e “densidade de pixeis” (para a qualidade) para separar os dois conceitos, e muitas vezes isso difícil de compreender por parte dos consumidores.

partilha Netflix

Apesar de ambos fazerem referencia ao ecrã, é preciso saber que a qualidade e a resolução não estão directamente ligados um ao outro. Uma coisa é a resolução da transmissão, e outra coisa é a qualidade da transmissão... e foi nesta qualidade que a Netflix fez alterações. As resoluções não foram mexidas, um filme que tinha a resolução 4K vai continuar com essa resolução, e o mesmo se passa para os FullHD. O que mudou foi a qualidade da imagem (a densidade de pixeis). Ou seja, o que a Netflix mudou foi a qualidade da imagem que é transmitida pelo seu serviço, que será mais notada para quem tem televisores grandes, e menos notada por quem utiliza o seu serviço em dispositivos com ecrã mais pequenos, como PCs, tablets ou smartphones.

Resumindo: a grande maioria dos utilizadores não irá notar diferenças quando assiste a conteúdo da Netflix, a não ser que tenham um televisor com um ecrã realmente muito grande, porque o que mudou foi a definição que foi ligeiramente reduzida, e não a resolução em si.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.