Negócio entre Microsoft e Activision não deverá ser concluído

Negócio entre Microsoft e Activision não deverá ser concluído

28 Abril, 2022 0 Por Joel Pinto

Bloomberg aponta para que negócio entre a Microsoft e a Activision não chegará a bom porto

No passado mês de Março um anuncio deixou o mercado de videojogos de cabeça para baixo, já que a Microsoft, a dona da Xbox, anunciou um acordo para a aquisição da Activision Blizzard, por cerca de 68,7 biliões de dólares, um valor recorde para esta industria.

Hoje, dia 28 de Abril de 2022, os accionistas da Activision vão-se reunir para aprovar esse negócio, mas segundo está a ser revelado, isso não será suficiente para que o acordo seja concluído. É que segundo parece, as acções da Activision estão a ser negociadas 25% abaixo da oferta de 95 dólares da Microsoft, sugerindo que os investidores não acreditam que a aquisição tenha hipóteses de acontecer. Para tentar explicar por miúdos esta situação, o Prémio de Risco, que é a relação entre os retornos de uma carteira de mercado de acções e o rendimento livre de risco, é mais que o dobro da oferta de Elon Musk pelo Twitter, e maior do que outras aquisições ainda não finalizadas, segundo está a ser avançado pelo Bloomberg.

A verdade é que as palavras entidades antitruste, principalmente a dos Estados Unidos, estão a deixar os investidores muito preocupados, dando uma clara indicação de que este negócio será reprovado. Alem disso, a aquisição também precisa de ser aprovada por outras entidades, como as da China e as da Europa... e nem essas parecem dispostas a aceitar o mesmo. Ou seja, apesar de promissor, o negócio parece ter poucas pernas para andar, tal como aconteceu com a tentativa da Nvidia de comprar a ARM, que após grande esforço e investimento, as entidades competentes chumbaram o negócio, e isso fez com que a empresa tivesse perdido milhões de dólares.

Activision

Esta aquisição será revista pela Comissão Federal de Transações, liderada por Lina Khan, conhecida pela sua posição contrária em relação a acordos entre os gigantes de tecnologia. Ela já bloqueou a compra da ARM pela NVIDIA, da Aerojet Rocketdyne pela Lockheed Martin e ressuscitou o caso de monopólio da Meta, que tem como intuito o de separar o WhatsApp do Instagram e do Facebook.

Por agora resta esperar por mais informações, mas tudo aponta para que o negócio acabe por cair.

FONTE

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.