Lembra-se do bug do Milénio? A Microsoft confirma que 2022 chegou com o bug Y2K22

Lembra-se do bug do Milénio? A Microsoft confirma que 2022 chegou com o bug Y2K22

2 Janeiro, 2022 0 Por Joel Pinto

Alguns de vós devem-se lembrar do bug que afectou milhares de equipamentos quando passamos do ano 1999 para o ano 2000... algo muito semelhante está a afectar os servidores Microsoft Exchange e que aconteceu após a passagem do ano 2021 para 2022.

Este novo bug que já está a ser apelidado de Y2K22 está a afectar todos aqueles que ainda utilizam versões não recentes do Microsoft Exchange, como as versões 2013, 2016 ou até mesmo 2019. Esse mesmo bug já foi confirmado pela Microsoft que admitiu que tem os seus engenheiros "a trabalhar 24 horas por dia numa correcção", que não exija que os seus clientes tenham de fazer alterações nos seus servidores locais... mas avisa que a solução pode demorar alguns dias, ou semanas, a implementar.

Este problema técnico, que agora baptizaram de Y2K22, parece estar na forma como a Microsoft nomeava as actualizações para o seu mecanismo de verificação de malware, colocando o ano, o mês e o dia (220101) antes de outro número de quatro dígitos (0001). A empresa parece usar este sistema porque quando uma actualização é nomeada "2.201.010.001" é simples verificar matematicamente qual actualização é a mais recente, pois terá o valor mais alto.

Y2K22

Y2K22 está a atingir milhões de utilizadores em todo o mundo

O problema parece ser que o campo em que esse número estava armazenado tinha um limite de 31 bits, o que significa que o número mais alto que poderia ser representado era 2.147.483.648 ou 2 elevado a 31. Assim que o relógio marcasse o ano 2022, esse sistema de nomenclatura iria exceder o valor máximo que poderia ser representado em 31 símbolos binários.

A empresa ainda não confirmou os detalhes técnicos, mas a sua explicação parece suportar esta teoria: "A verificação de versão realizada no ficheiro de assinatura está a causar o bloqueio do mecanismo de malware, resultando em mensagens presas nas filas de transporte."

Uma das potenciais soluções imediatas para resolver o problema passa por desactivar o recurso de filtragem de malware, mas isso coloca os servidores, e utilizadores, a uma potencial exposição a hackers... ou seja, muito pouco recomendável.

Por agora, resta esperar por uma solução da Microsoft, que deverá estar disponível nos próximos dias, ou na pior das hipóteses, semanas.

FONTE

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.