Microsoft anuncia o encerramento do LinkedIn na China e anuncia o InJobs

Microsoft anuncia o encerramento do LinkedIn na China e anuncia o InJobs

15 Outubro, 2021 Não Por Joel Pinto

Depois de em 2016 ter adquirido o LinkedIn por 26,2 biliões de dólares, a Microsoft anunciou que vai encerrar a rede social na China. O grupo fala "num ambiente operacional muito difícil e maiores requisitos de conformidade" impostos pelo governo local, para poder operar na região.

O LinkedIn foi lançado na China em Fevereiro de 2014, e com uma versão totalmente traduzida para atrair o maior número possível de utilizadores. Agora, a Microsoft explica que muitos chineses conseguiram encontrar emprego graças à sua plataforma, mas as regras do governo são consideradas muito rígidas no que diz respeito à liberdade de expressão, daí as mudanças.

“Embora tenhamos tido sucesso em ajudar os utilizadores chineses a encontrar empregos e oportunidades económicas, não tivemos o mesmo sucesso nos aspectos mais sociais de partilha e informação”, explica a Microsoft. Entre isso, e as regras do governo chinês, "tomamos a decisão de encerrar a versão localizada actual do LinkedIn (…) ainda este ano" sem revelar uma data exacta para isso acontecer.

LinkedIn

InJobs substitui o LinkedIn na China

O LinkedIn é até ao momento a última grande rede social americana ainda disponível na China. O Facebook e o Twitter estão bloqueados localmente, e agora ela vai juntar-se a essas duas, mas não é um bloqueio propriamente dito, neste caso.

A Microsoft, porém, tem um plano B. O grupo lançará este ano uma aplicação chamada InJobs. Será dedicada exclusivamente ao trabalho, e não incluirá qualquer elemento social, e os utilizadores não poderão partilhar artigos ou mensagens.

FONTE

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.