Como tirar a melhor fotografia nocturna com o seu smartphone?

Como tirar a melhor fotografia nocturna com o seu smartphone?

18 Agosto, 2022 0 Por Joel Pinto

Mesmo no verão, o sol põe-se e dá lugar à lua, às estrelas e às luzes artificiais: as horas da noite são o domínio da fotografia nocturna, e embora com uma maquina profissional não seja difícil tirar grandes fotos nessas condições, o mesmo não pode ser dito com um smartphone.

Se as fotos tiradas durante o dia são geralmente muito boas graças às boas condições de luz, é de facto com o pôr do sol que o desafio se torna difícil, cavando uma lacuna entre os smartphones de gama média e os topos de gama.

No entanto, existem alguns cuidados que pode ter para melhorar a sua fotografia nocturna, por esse motivo vou aqui deixar aqui 5 dicas para melhorar as mesmas quando tiradas com um smartphone.

Fotografia nocturna: Aproveite a longa exposição

A palavra fotografia deriva do grego antigo e significa literalmente escrever com luz. Ou seja, o maior obstáculo na fotografia nocturna é justamente o facto de haver pouca luz e, portanto, é preciso adoptar algum estratagema para a "absorver".

Isto é especialmente verdadeiro para smartphones, onde é regulado por dois parâmetros: a sensibilidade ISO do sensor, ou seja, quão sensível é à luz, e o tempo de exposição, ou seja, quanto tempo o sensor deve permanecer ligado. Tudo depende de como joga com esses dois parâmetros, e é preciso ter cuidado, já que se aumentar muito o ISO, a foto ficará com muito ruído, enquanto se demorar muito a velocidade do obturador será movida.

Nesse sentido, portanto, o primeiro ponto de partida para uma fotografia nocturna eficaz pode ser aproveitar a longa exposição para capturar uma cena em movimento, como por exemplo, os faróis dos carros tirados de um viaduto. Para tirar esse tipo de foto nocturna tem que agir nos tempos de exposição, levando-os para dois, três, quatro segundos dependendo do cenário, e depois ficar muito quieto pelo tempo que for necessário.

No entanto, devemos ter cuidado para que o resto não seja muito brilhante, caso contrário, o resultado será uma foto superexposta devido a outras fontes de luz que não são os faróis.

fotografia nocturna

Uma mão segura ou o acessório certo

Para conseguir bons resultados é essencial ter uma mão firme e, em alguns casos, ter os acessórios certos. Se decidir fotografar com a mão, tenha em mente que o smartphone não possui a ergonomia ideal para ser segurado na mão durante muito tempo, como acontece com as câmaras. Portanto, certifique-se de segurá-lo o mais firme possível, com as duas mãos, formando um ângulo de 90° com os cotovelos e as pernas afastados, firmemente assentes no chão.

O que faz a diferença neste caso em telefones de gama média, mais do que o número de megapixeis, é a estabilização óptica, que também ajuda no lado do vídeo, tornando a filmagem mais suave mesmo quando, por exemplo, está a andar.

Voltando às fotos, alternativamente pode apoiar-se em algum lugar, ou simplesmente equipar-se com um tripé fotográfico ao qual pode adicionar um suporte para smartphone.

Use e "abuse" do temporizador

O terceiro conselho diz respeito à estabilidade, pode utilizar um comando ou, muito mais simplesmente, o temporizador. Isso serve para evitar que o sistema óptico seja movido pela pressão do dedo no botão obturador, criando um efeito de desfoque. Parece um truque mínimo, mas faz realmente muita diferença.

Da mesma forma, evite tocar no ecrã para alterar o foco deste, ou daquele assunto, e consequentemente a exposição, pois os ajustes automáticos geralmente são muito mais eficientes e evitam que queime ou subexponha algumas partes da imagem.

Escolha o assunto certo

Fundamental é a escolha do assunto a ser fotografado. Isso porque devemos antes de tudo estar atentos ao meio: o smartphone, embora possa ser desenvolvido com atenção do lado fotográfico, ainda permanece distante de uma câmara, também por questões dimensionais e de hardware.

Ao contrário das câmaras, que possuem espaços muito diferentes disponíveis, os smartphones possuem um sensor tão pequeno como uma unha, e isso implica numa escolha consciente do assunto, pois existem limites físicos além dos quais não é possível ir.

Por exemplo, uma fotografia nocturna de um monumento, ou de uma praça iluminada, pode garantir um bom resultado; o mesmo não pode ser dito se tentar imortalizar uma pequena igreja rural na completa escuridão. Lembre-se, por melhores que sejam, os smartphones não são SLRs.

Criatividade para o retrato nocturno

Tirar alguns retratos à noite? Para fotografar pessoas em condições de pouca luz é preciso fazer considerações diferentes das vistas anteriormente, pois não é possível usar exposições longas, já que o assunto tenderá a mover-se mesmo que esteja a parecer imóvel.

Portanto , é necessário usar velocidades do obturador que permitam evitar até mesmo o desfoque involuntário do corpo, aumentar um pouco o ISO, mas não muito e, acima de tudo, usar ao máximo a luz disponível, como a de um candeeiro de rua.

A menos que o assunto esteja muito próximo, ainda é uma boa prática evitar o uso do flash, que pode acabar por ser contraproducente porque não pode iluminar cenas grandes, e distantes, e também corre o risco de queimar os elementos mais próximos. Em vez disso, pode utilizar uma luz LED portátil e dar luz à sua criatividade.

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook e do Instagram? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta seleccionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.