Huawei volta a afirmar que deixará de estar ligado à sua ex-subsidiária Honor

Huawei volta a afirmar que deixará de estar ligado à sua ex-subsidiária Honor

28 Novembro, 2020 0 Por Joel Pinto

Já não deve ser novidade para ninguém: A Huawei vendeu a Honor, mas quais os motivos que levaram a empresa a tomar essa decisão? Sem as vendas da sua subsidiária de “baixo custo”, a Huawei não terá mais o mesmo peso no mercado de smartphones. E é isso, sem dúvida, o que o ex-número dois mundial procura: enfraquecer para não parecer um perigo potencial aos olhos do governo americano.

Ren Zhengfei, fundador e CEO da Huawei, acredita que o governo dos Estados Unidos pura e simplesmente manobrou-se para fazer com que o grupo desapareça: “Eles estavam a tentar matar-nos”, diz o líder. Essa declaração que surge no passado também sugere que as coisas podem mudar em breve.

A Huawei pretende reverter a situação na era Biden, mas para chegar lá primeiro será necessário mostrar que está empenhado nisso:

"Quando nos divorciarmos, não manteremos qualquer relação com a Honor", promete Zhengfei. "Gerimos essa separação de maneira adulta e cumprimos rigorosamente os regulamentos e padrões internacionais."

Huawei Honor

Huawei vende a Honor para enfraquecer o seu grupo

O CEO continua esperançoso de restabelecer rapidamente os laços comerciais com as empresas americanas:

“Sob a sua nova administração, a Honor poderá retomar rapidamente a produção e resolver os problemas que afectam os seus fornecedores e subcontratados. Os Estados Unidos são uma superpotência tecnológica com muitas empresas excelentes. Você deve trabalhar com eles com firmeza e ousadia."

Isso tudo fará com que em breve tudo volte a ser como era antes? Não sabemos, o que sabemos é que a era de Donald Trump à frente dos destinos dos EUA terminará no próximo dia 20 de Janeiro, e que posição terá Biden, ainda teremos de esperar para ver.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.