Google atualiza Relatório de Transparência para as Eleições Europeias

Google atualiza Relatório de Transparência para as Eleições Europeias

5 Maio, 2019 0 Por Joel Pinto

Para ajudar as pessoas a entenderem melhor os anúncios com conteúdo eleitoral que veem on-line e apoiar a integridade eleitoral, a Google implementou, no início do ano, um novo processo para verificação de anunciantes para as eleições europeias. A Google também exigiu que esses anúncios verificados incluam uma menção clara a “pago por…”.

Agora, o gigante das pesquisas alargou o seu o seu portfolio de relatórios de transparência – incluindo informação sobre a publicidade política na UE no Relatório de Transparência da Google de modo a mostrar aos votantes quem está a comprar anúncios com conteúdo eleitoral no Google no espaço da UE e quanto estão a gastar. Outras das funcionalidades de transparência inclui ainda uma base pesquisável de anúncios que proporciona dados relevantes como, por exemplo, qual o anúncio que teve as taxas de impressão mais elevadas, quais foram os últimos anúncios com conteúdo político que apareceram na plataforma da Google, entre outros dados.

Qualquer pessoa poderá aceder e utilizar esta informação pesquisável e navegar por entre os dados de uma forma simples e prática. O relatório será atualizado semanalmente de modo a registar os anúncios com conteúdo eleitoral verificados que tenham uma ou mais impressões.

À semelhança dos seus relatórios de transparência para anúncios eleitorais nos Estados Unidos e na Índia, a informação dos relatórios e os dados da base de anúncios pesquisável ficarão depois disponíveis a qualquer pessoas também no Google Cloud’s BigQuery. Através da API BigQuery, investigadores, analistas, cidadãos poderão criar códigos e realizar as suas próprias pesquisas com base nestes conjuntos de dados para desenvolver gráficos, tabelas e outras formas de visualização da publicidade de cariz político realizada nas plataformas Google.

Apoiar as eleições em todo o mundo é importante para a Google. A empresa diz que irá continuar a trabalhar em parceria com a União Europeia – através do seu Código de Conduta para Combater a Desinformação -, publicando relatórios regulares sobre o seu trabalho para impedir os abusos e colaborando com governos, entidades oficiais e outras entidades da indústria e comunidades de ONG para reforçar a proteção dos eleitores durante as eleições e ajudar a combater a desinformação.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.