Fujitsu Ganha 1º Prémio em Desafio de Inteligência Artificial promovido pela Airbus

Fujitsu Ganha 1º Prémio em Desafio de Inteligência Artificial promovido pela Airbus

17 Dezembro, 2019 0 Por Joel Pinto

A Fujitsu recebeu o primeiro prémio numa competição global organizada pela grande fabricante aeroespacial Airbus para encontrar o sistema de inteligência artificial (IA) sem supervisão mais preciso para um uso específico.

Fujitsu vence o primeiro prémio no Airbus AI Gym

No desafio Airbus AI Gym, que visava encontrar a monitorização por sensores mais rigorosa, a distinção máxima foi entregue à Fujitsu por desenvolver uma forma de utilizar IA não supervisionada para detectar anomalias nos dados do acelerómetro de helicópteros Airbus, à frente de outras 140 equipas que participaram neste desafio.

Engenheiros de voo acoplaram grandes quantidades de sensores a helicópteros de teste para captar cada nuance do seu comportamento. Para melhorar a detecção de sinais de alerta precoces nesta vasta quantidade de dados, a Airbus criou o desafio AI Gym, promovendo a investigação de uma nova forma de localizar com precisão potenciais problemas, sobretudo dados com valores atípicos (outliers). Uma equipa multidisciplinar de engenheiros especializados apoia cada voo para estudar este conjunto de observações – o que representa um grande investimento em cada voo efectuado. Uma vez que quase todos os dados do sensor são considerados ‘normais’, este mecanismo deve ser capaz de trabalhar sem orientação prévia dos engenheiros.

A solução vencedora da Fujitsu alcançou uma precisão de 93%, aproveitando o seu Modelo de IA Sem Supervisão “DeepTAN”, criado pela Fujitsu Systems Europe (FSE). A solução pegou em sequências de dados de múltiplos sensores e analisou-os durante um período de tempo fixo, detectando comportamentos anormais do sensor através de um algoritmo de deep learning. A FSE treinou e validou o algoritmo no seu próprio data center, utilizando 1.677 sequências de um minuto dos dados do acelerómetro dos voos dos helicópteros de teste em vários locais, ângulos e voos.

Airbus AI Gym

A Fujitsu planeia industrializar a sua solução, tornando-a numa solução de análise cronológica sem supervisão, complementando a DeepTAN com uma funcionalidade ponta-a-ponta, pipelines de dados integrados e algoritmos mais evoluídos.

As novas funções incluem um mecanismo semi-supervisionado para classificar o tipo de anomalia do sensor, respondendo ao imperativo que os engenheiros e os serviços de manutenção têm de encontrar a causa principal das anomalias e interpretar dados multivariados e correlações entre todos os voos de teste num programa. A empresa será então capaz de trazer valor a clientes de todo o ciclo de vida da aeronave, desde os voos de teste à pré-encomenda, passando por companhias aéreas e organizações de MRR (Manutenção, Reparação e Revisão) no sector da aviação.

Ian Godfrey, Director de Negócio de Soluções da FSE, afirma: “Ganhar o primeiro prémio neste desafio de dados não só coloca em evidência as tecnologias líderes e a competência em IA da Fujitsu, como também fornece provas concretas da nossa capacidade de as aplicar a cenários empresariais do mundo real. Os conceitos que aplicámos a este problema específico mostraram-nos como estas novas técnicas de deep learning ajudam tanto os fabricantes aeronáuticos como as empresas que trabalham na manutenção destes aparelhos."

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.