Facebook revela novas medidas de combate à desinformação sobre a COVID-19

Facebook revela novas medidas de combate à desinformação sobre a COVID-19

16 Abril, 2020 0 Por Joel Pinto

Desde que o COVID-19 foi declarado uma emergência global de saúde pública, o Facebook diz estar a trabalhar para ligar pessoas a informações precisas de especialistas em saúde, e impedir que informações desastrosas sobre o COVID-19 se espalhem nas suas aplicações.

Agora, a empresa afirma já ter direccionado mais de 2 biliões de pessoas a recursos da OMS e de outras autoridades de saúde através do seu Centro de Informações COVID-19 e de pop-ups no Facebook e Instagram, com mais de 350 milhões de pessoas a clicar para obter mais informações.

Mas ligar pessoas a informações confiáveis ​​é apenas metade do seu desafio. Acabar com a disseminação de informações erradas e conteúdo prejudicial sobre o COVID-19 nas suas aplicações também é extremamente importante. É por isso que a empresa afirma que continua a trabalha com mais de 60 organizações de verificação de factos que revêem, e classificam, o conteúdo em mais de 50 idiomas em todo o mundo. E Março, e empresa continuou a expandir o seu programa para adicionar mais parceiros e idiomas. Desde o início desse mês foram adicionados oito novos parceiros e expandiram a sua cobertura para mais de uma dúzia de novos países. Por exemplo, adicionaram o MyGoPen em Taiwan, o AFP e o dpa na Holanda, a Reuters no Reino Unido e outros.

Para apoiar ainda mais o trabalho dos seus parceiros de verificação de factos durante esse período, o Facebook anunciou recentemente a primeira ronda de destinatários do seu programa de subsídios de US $ 1 milhão em parceria com a Rede Internacional de Verificação de Factos. Eles fizeram doações a 13 organizações de verificação de factos em todo o mundo para apoiar projectos em Itália, Espanha, Colômbia, Índia, República do Congo e outras nações.

Facebook e as falsas noticias sobre o Covid-19

Depois que um conteúdo é classificado como falso pelos verificadores de factos, a empresa reduz a sua distribuição e mostram rótulos de aviso com mais contexto. Com base numa verificação de factos, a empresa diz poder lançar métodos de detecção de similaridade que identificam duplicações de histórias desmembradas. Por exemplo, durante o mês de Março, foram mostrados avisos sobre cerca de 40 milhões de publicações relacionadas ao COVID-19 no Facebook, com base em cerca de 4.000 artigos dos seus parceiros independentes de verificação de factos. Quando as pessoas viam esses rótulos de aviso, 95% das vezes não viam o conteúdo original. Até o momento, também afirmam já ter removido centenas de milhares de informações falsas que poderiam levar a danos físicos iminentes.

Hoje, o Facebook partilhou algumas etapas adicionais que estão a adoptar para combater as informações falsas relacionadas ao COVID-19 e garantir que as pessoas tenham as informações precisas necessárias para permanecerem em segurança.

Informando as pessoas que interagiram com reivindicações prejudiciais ao COVID-19

O Facebook vai começar a mostrar mensagens no Feed de notícias das pessoas que gostaram, reagiram ou comentaram sobre informações desagradáveis ​​sobre o COVID-19 que entretanto foram removidas desde então. Essas mensagens ligarão as pessoas aos mitos do COVID-19 desmascarados pela OMS, incluindo aqueles que foram removidos da plataforma por causar de danos físicos iminentes. O Facebook quer ligar pessoas que possam ter interagido com informações desagradáveis ​​sobre o vírus com a verdade de fontes autorizadas, caso vejam, ou ouçam, essas alegações novamente no Facebook. As pessoas começarão a ver essas mensagens nas próximas semanas.

Facebook Covid-19

Para tornar mais fácil para as pessoas encontrarem informações precisas sobre o COVID-19, recentemente o Facebook adicionou uma nova secção ao seu Centro de Informações do COVID-19 chamado Get the Facts. Onde estão incluídos artigos verificados por factos do seus parceiros que desmascaram informações erradas sobre o coronavírus. Os artigos de verificação de factos são seleccionados pelas suas equipa de notícias e actualizados todas as semanas.

À medida que esta pandemia evolui, o Facebook afirma continuar focado nas formas mais eficazes de manter desinformação e mensagens perigosas sobre COVID-19 fora das suas aplicações, de modo a garantir que as pessoas tenham informações confiáveis ​​dos especialistas em saúde para se manterem seguros e informados.

FONTE

Joel Pinto
 | Website

Fundador do Noticias e Tecnologia, e este foi o seu segundo projeto online, depois de vários anos ligado a um portal voltado para o sistema Android, onde também foi um dos seus fundadores.