Facebook, Instagram e WhatsApp em breve receberão recursos pagos

Facebook, Instagram e WhatsApp em breve receberão recursos pagos

2 Setembro, 2022 0 Por Joel Pinto

Tal como já acontece em outras redes sociais, como o Snapchat o Twitter, em breve o Facebook, o Instagram e o Whatsapp vão ter recursos premium, ou seja, que só estarão disponíveis para utilizadores pagantes. A Meta, controladora das três plataformas, alertou num memorando interno que está a montar uma organização para identificar as funções que podem surgir.

Essa nova divisão é a primeira incursão séria da Meta na criação de recursos premium nas suas principais aplicações, que possuem biliões de utilizadores em todo o mundo. Isso acontece após a actividade publicitária da Meta ter sido severamente afectada pelas mudanças da Apple, no rastreamento de anúncios no iOS e um declínio mais amplo nos gastos com anúncios digitais.

O grupo, chamado New Monetization Experiences, será liderado por Pratiti Raychoudhury, que anteriormente era chefe de pesquisa da Meta.

John Hegeman, vice-presidente da Meta que cuida da monetização e supervisiona o grupo, disse ao pessoal do The Verge que a empresa ainda estava determinada a expandir os seus negócios de publicidade. Além disso, não tem intenção de permitir que os utilizadores paguem para desactivar os anúncios nas suas aplicações.

“Acho que vemos oportunidades para criar novos tipos de produtos, recursos e experiências pelos quais as pessoas estariam dispostas a pagar”, afirmou ele, alem de recusar dar detalhes dos recursos pagos que estão a ser considerados.

Instagram

Facebook, Instagram e WhatsApp vão contar com recursos premium

Na sequência, a estrutura minimizou a importância dos recursos pagos nos negócios de curto prazo. Ainda assim, disse que “por outro lado, acho que se houver oportunidades para criar novo valor e linhas de receitas significativas, e proporcionar alguma diversificação, obviamente isso será algo atractivo”.

A longo prazo, a Meta acredita que os recursos pagos vão-se tornar uma parte mais significativa dos seus negócios. “Ao longo de um horizonte de cinco anos, acho que isso pode realmente mudar a agulha e fazer uma diferença bastante significativa”, continua o gerente. Ele também enfatiza olhar para o que os seus concorrentes estão a fazer e deixa claro que pode copiá-los dependendo do caso.

Para quem não se lembra, na sua fase inicial, o WhatsApp era uma aplicação paga para utilizar, um valor muito simbólico mas era paga. No entanto, nem o Facebook, nem o Instagram, alguma vez foram pagos, e se com o primeiro nem estranho que alguns recursos possam ser pagos, com o Instagram, tenho alguma dificuldade em aceitar.

FONTE

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook e do Instagram? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta seleccionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.