Extensões do Avast e do AVG estão a espiar os utilizadores sem o seu consentimento

Extensões do Avast e do AVG estão a espiar os utilizadores sem o seu consentimento

4 Dezembro, 2019 0 Por Joel Pinto

A principal missão do Avast e do AVG é proteger os utilizadores contra malware e roubo de dados pessoais. Esses dois editores, um afiliado ao outro, desenvolvem antivírus para Windows há muitos anos, e são duas marcas que têm excelente reputação. Isso é obviamente importante quando o utilizador precisa de escolher em quem confiar.

Extensões do AVG e do Avast colocam a privacidade dos utilizadores em perigo

No entanto, quatro de suas extensões para o Google Chrome e Mozilla Firefox não parecem ter essa boa reputação. Segundo um artigo do The Hacker News, essas extensões são chamadas de Avast Online Security, AVG Online Security, Avast SafePrice e AVG SafePrice. Wladimir Palant, o fundador do AdBlock, descobriu que as quatro extensões recolhem muitos dados de navegação.

Mas que dados são esses? A maioria deles dizem respeito a informações de navegação, sem os utilizadores serem previamente informados. Isso inclui todos os URLs que visita, os títulos da página, a forma como chegou a essas páginas (link do mecanismo de pesquisa, uso de um favorito, entrada directa de endereço) e o URL da página do site anterior. Isso também inclui um valor que indica se já visitou o site anteriormente. Até então, nada de anormal em si: para combater o phishing, essa informação é importante. E as falhas de segurança do Chrome (ou Safari e Edge) não são incomuns.

Avast Mobile Security - Extensões do Avast e do AVG estão a espiar os utilizadores sem o seu consentimento

Mas a lista não pára por aí. O criador do AdBlock também identificou informações específicas, como um identificador exclusivo para cada instalação de cada extensão, a origem geográfica dos utilizadores, as palavras inseridas nos campos das páginas visitadas, bem como a versão exacta do navegador da Web e o sistema de acesso. Segundo Wladimir Palant, essas informações permitem que o AVG e o Avast criem um perfil do seu comportamento de navegação, potencialmente com todos os seus hábitos de consumo.

Após essa descoberta, Wladimir Palant informou a Google e a Mozilla. O último removeu as extensões citadas da sua loja de aplicações, aguardando uma alteração feita pelo Avast e pelo AVG. No entanto, eles não foram incluídos na lista negra. O que significa que eles não são desinstalados automaticamente do Firefox. Quanto ao navegador do Google, as extensões ainda estão disponíveis na Chrome Web Store.

Por isso, se utiliza alguma dessas extensões poderá excluí-las se acreditar que estas poderão ser uma ameaça à sua privacidade.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos.