Ex-chefe da Xbox admite ter encorajado a guerra de consolas com a PlayStation

Ex-chefe da Xbox admite ter encorajado a guerra de consolas com a PlayStation

1 Agosto, 2022 0 Por Joel Pinto

A "guerra" dos consolas, apesar de ser algo parvo, é parte integrante do folclore dos videojogos. Tivemos a Nintendo versus Sega no início dos anos 1990 e desde meados dos anos 2000 tem sido a competição entre a Xbox, da Microsoft, e a PlayStation da Sony. Uma rivalidade alimentada pela Microsoft "em pessoa" , já que isso foi admitido pelo ex-chefe da divisão Xbox, Peter Moore.

Peter Moore foi o Big Boss da Xbox entre 2003 e 2007, um momento crucial na história da consola e um momento difícil para a Microsoft, e para a Sony. Enquanto a PlayStation 3 lutava para se estabelecer porque era muito cara, o então ultra-popular Xbox 360 encontrou o famoso problema do Red Ring of Death, que a penalizou bastante.

Num podcast recente, Peter Moore afirma que essa "guerra" de consolas, entre a Xbox 360 e a PlayStation 3, é de facto dele. Ele afirma que foi uma das formas de estimular um mercado que era muito difícil para as duas fabricantes naquela época:

“Encorajei a guerra das consolas. Não para criar divisão, mas para estimular um ao outro. Quando digo um ao outro, quero dizer Microsoft e Sony. Se a Microsoft não tivesse continuado esse impulso após a história do Red Ring of Death, o mundo dos jogos seria mais sombrio e não teríamos a concorrência que temos hoje."

Na época, a Microsoft e a Sony estavam de facto envolvidas numa rivalidade impiedosa. Uma guerra de comunicação que durou vários anos. Também nos lembramos das tiradas de Moore para elogiar os méritos da seu consola, o CEO chegou a tatuar o nome dos jogos para efeitos de anúncio.

Se a Xbox 360 estava no topo das vendas em 2005-2009, a história do Red Ring of Death quase deitou tudo a perder. As consolas ficaram realmente inutilizáveis ​​e a Microsoft então tomou a decisão de trocar todos os produtos defeituosos, com custos muito elevados para a empresa.

consolas

Peter Moore admite que encorajou a guerra de consolas

Essa "guerra" acalmou bastante nos dias de hoje, as duas fabricantes tornaram-se complementares no mercado. O objectivo dessa rivalidade sempre foi o mesmo para as empresas envolvidas: convencer os jogadores a optar pela sua máquina em vez da da concorrência. Um aspecto financeiro que alguns jogadores às vezes acham difícil de entender porque levam essa "guerra" muito a sério (principalmente nas redes sociais).

Lembre-se que depois de deixar a Microsoft, Peter Moore tornou-se presidente da EA Sport, depois do Liverpool FC antes de chegar à Unity, onde está até hoje.

FONTE

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.