Ciber-ataques causam perdas com o valor mais elevado de sempre

Ciber-ataques causam perdas com o valor mais elevado de sempre

11 Setembro, 2019 0 Por Joel Pinto

Um novo relatório divulgado hoje pela Aon plc indica que as perdas decorrentes de ataques cibernéticos vão atingir globalmente os 6 triliões de dólares até 2021. O Relatório “Prepare for the expected: Safeguarding value in the era of cyber risk” prevê ainda que o investimento em segurança cibernética ultrapasse 1 trilião de dólares acumulados nos cinco anos anteriores a 2021.

Segundo este relatório, as empresas enfrentam perdas financeiras graves e imediatas face aos custos processuais deste tipo de incidentes, de multas regulatórias, que aumentaram após a implementação do Regulamento Geral de Proteção de Dados, e de perdas de receita resultante da interrupção da sua actividade.
Embora os custos financeiros imediatos de um ataque cibernético possam ser prejudiciais para as empresas, o relatório sugere que tão ou mais preocupante é o dano, prolongado no tempo, causado à sua reputação.

Aon plc - Ciber-ataques causam perdas com o valor mais elevado de sempre

"A crise de reputação resultante de um ataque cyber pode comprometer o valor de mercado de uma empresa, destruir a lealdade à marca, limitar os esforços de transformação digital e até levar a uma diminuição do rating de crédito. Uma estratégia eficaz de resiliência cibernética pode ajudar a mitigar perdas financeiras imediatas e de longo prazo." Afima Anabela Araújo, Chief Broking Officer e Diretora de Sinistros, da Aon Portugal

Cibercrime estreia-se no top5 dos principais riscos para as empresas em Portugal

De acordo com outro estudo recente da Aon, o risco cibernético integrou, pela primeira vez, a lista dos cinco principais riscos para as empresas em Portugal, em 2019. Globalmente, os gestores de risco estão também a registar um nível mais baixo de preparação ao risco cibernético, havendo necessidade de adotar medidas de gestão de risco por oposição à transferência de risco, com o objetivo de mitigar essas ameaças e proteger as organizações.

"Algumas empresas ainda não entendem completamente o impacto que um ataque cibernético pode ter na sua atividade. A consciencialização dos piores cenários e o seu impacto é crucial para o desenvolvimento de uma estratégia de resiliência eficaz na qual o cyber é gerido como um risco para e em toda a empresa. Os Executivos devem procurar melhorar constantemente as suas estratégias holísticas de gestão de riscos cibernéticos para prevenir, preparar e ser capaz de responder a uma crise desta natureza." Afirma Anabela Araújo, Chief Broking Officer e Diretora de Sinistros, da Aon Portugal

O Relatório “Prepare for the expected: Safeguarding value in the era of cyber risk” identifica finalmente quatro etapas necessárias para a construção de uma organização resiliente ao risco cibernético:

  • Assumir a responsabilidade – a gestão do risco cibernético deve ser um esforço transversal à empresa, mas a responsabilidade precisa de estar alocada ao topo da organização.
  • Unir a empresa - o risco cibernético não é apenas uma questão de segurança tecnológica e informática. É uma ameaça de toda a empresa e requer uma resposta multidisciplinar e multinível que envolva todas as partes interessadas relevantes dentro da organização.
  • Controlar o processo - as empresas não podem mais contar com a contratação de uma equipa de resposta após um ataque cibernético. A gestão de resposta a incidentes é fundamental na preparação das organizações e o planeamento de cenários ajuda a entender as vulnerabilidades e ameaças operacionais.
  • Proteger a operação - as empresas devem analisar a forma como estão a aproveitar as oportunidades de transferência de risco disponíveis. O seguro cibernético pode ajudar a proteger o balanço patrimonial de uma organização, fornecendo serviços de prevenção pós e pré-perda.
Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos.