Após ataques de Christchurch, Facebook muda regras para os vídeos em direto

Após ataques de Christchurch, Facebook muda regras para os vídeos em direto

15 Maio, 2019 0 Por Joel Pinto

O Facebook anunciou ontem a introdução de novas restrições no seu serviço que permite a transmissão de vídeo em directo. Eles seguem o ataque a Christchurch, na Nova Zelândia, em março por um terrorista que filmou e transmitiu em directo na rede social, o seu massacre de 51 pessoas, em diversas mesquitas.

A rede social anuncia assim o endurecimento das regras, aplicando uma política chamada "primeira ofensa". Assim, qualquer pessoa que violar as suas regras mais sensíveis será banida do uso do Facebook Live por um período específico - 30 dias, por exemplo - logo na sua primeira ofensa. Por exemplo, alguém que partilhe um link para um comunicado de um grupo terrorista sem um elemento contextual será imediatamente proibido de usar o Facebook Live por um período especificado.

"Planjamos estender essas restrições para outras áreas nas próximas semanas, começando com a prevenção de que essas pessoas criem anúncios no Facebook " , anuncia o Facebook. "O nosso objetivo é limitar o risco de abuso no Facebook Live, permitindo que as pessoas usem esse serviço positivamente todos os dias", acrescenta a plataforma.

Além disso, o Facebook disse que foi confrontado por utilizadores que modificaram o vídeo do ataque para que ele não seja detetado por robôs e, portanto, bloqueado automaticamente. É por isso que o Facebook está a investir mais de 7,5 milhões de dólares em parcerias com três universidades (Maryland, Cornell e Berkeley) para melhorar a análise de imagem e vídeo.

FONTE

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos.