China revela aquele que é o seu primeiro data center subaquático

China revela aquele que é o seu primeiro data center subaquático

2 Dezembro, 2023 0 Por Joel Pinto

A China deu um grande passo em frente no domínio dos data center (centros de dados) com a implantação do seu primeiro data center subaquático, um feito tecnológico localizado ao largo da costa da ilha de Hainan. Submerso a 35 metros de profundidade, ele promete um poder de processamento impressionante, equivalente ao de seis milhões de computadores.

China anuncia gigantesco data center subaquático

Este projeto, destacado pela televisão estatal CFTV, representa um marco importante na evolução do armazenamento de dados. O primeiro módulo deste data center foi instalado perto de Sanya, cidade costeira no sul da ilha de Hainan, em abril passado. Cada unidade, pesando 1.300 toneladas, é capaz de processar mais de quatro milhões de imagens de alta definição em apenas 30 segundos, o equivalente à potência combinada de 60 mil computadores.

O projeto envolve a instalação de cerca de cem módulos, cada um projetado para uma vida útil de 25 anos. A conclusão deste centro está prevista para o segundo trimestre de 2025. Uma vez concluído, a sua capacidade global de processamento rivalizará com a de seis milhões de computadores, embora o número exato de servidores que compõem esta infraestrutura permaneça desconhecido.

Esta iniciativa chinesa insere-se numa tendência global, iniciada pela Microsoft em 2018 com o seu projeto Natick que consiste em explorar as vantagens dos data centers subaquático. O principal benefício é a refrigeração natural oferecida pela água do mar, que evita o uso massivo de água doce necessária para instalações terrestres. Para o gigantesco chinês, isso traduz-se numa economia significativa em termos de espaço e recursos: os 100 módulos, se estivessem na terra, ocupariam uma área equivalente a dez campos de futebol, ou cerca de 68 mil m².

Além de poupar espaço, este centro subaquático poupará anualmente 122 milhões de quilowatts-hora de eletricidade e 105 mil toneladas de água doce. Com um orçamento estimado em 879 milhões de dólares, este projeto é operado pela Beijing Sinnet, especialista em computação em nuvem. A China está a considerar centros de dados subaquáticos adicionais em regiões-chave, como o Delta do Rio Yangtze e o Delta do Rio das Pérolas, sublinhando o seu compromisso com soluções inovadoras e ambientalmente responsáveis ​​no armazenamento de dados.

Este desenvolvimento notável mostra que a China está na vanguarda da inovação no domínio da tecnologia da informação, ao mesmo tempo que está consciente das questões ecológicas relacionadas com o armazenamento de dados. Este colossal data center subaquático é um exemplo fascinante de como a tecnologia pode ser utilizada para enfrentar desafios ambientais e logísticos complexos.

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook, no, Threads, do Instagram, do BlueSky e do X? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta seleccionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.

Joel Pinto

Fundador do Noticias e Tecnologia, e este é o seu segundo projeto online, depois de vários anos ligado a um portal voltado para o sistema Android, onde também foi um dos seus fundadores.

Informático de profissão, e apaixonado por novas tecnologias, desportos motorizados e BTT.