Audiovisual Anti-Piracy Alliance quer mais força para lutar contra o IPTV Pirata na Europa

Audiovisual Anti-Piracy Alliance quer mais força para lutar contra o IPTV Pirata na Europa

26 Novembro, 2020 0 Por Joel Pinto

A Audiovisual Anti-Piracy Alliance (AAPA), é uma associação maioritariamente europeia que tem como missão liderar a luta contra a pirataria audiovisual e exerce lobby nesse sentido, conta entre os seus membros grupos muito fortes, como os beIN Sports, BT, Canal +, Sky ou a DFL, LaLiga, a LFP e a Premier League do futebol (Alemanha, Espanha, França e Inglaterra).

No contexto do trabalho para a próxima Lei Europeia de Serviços Digitais sobre serviços digitais, a AAPA expressou as suas queixas, enfatizando que os seus membros estão a enfrentar um aumento chamado "preocupante" no volume de uso não autorizado dos seus serviços, que não podemos esquecer que se trata de conteúdo audiovisual protegido.

Esse fenómeno que afecta o IPTV terá ficado pior com a crise sanitária do coronavírus, e durante as medidas de contenção para lidar com a disseminação do Covid-19.

"Os membros da AAPA apelam a uma resposta forte, e urgente, da União Europeia para fortalecer a luta contra o conteúdo ilegal online."

Audiovisual Anti-Piracy Alliance

Audiovisual Anti-Piracy Alliance pede mais poder para lutar contra o IPTV Pirata

Entre as reclamações da AAPA, que podemos ler aqui, encontra-se um esclarecimento sobre o regime de responsabilidade dos intermediários da Internet, e uma harmonização dos pedidos de levantamento. A associação acredita que uma obrigação de retirada rápida para conteúdo ilegal transmitido em directo deve ser implementada. Ela dá o exemplo de um corte de transmissão 30 minutos após uma reclamação.

Para a AAPA, as plataformas também devem ter a obrigação de estabelecer níveis adicionais de verificação de contas de utilizador, a fim de evitar que os serviços piratas criem múltiplas contas que podem ser usadas para carregar conteúdo ilegal, e assim contornar as medidas de bloqueio.

A AAPA deseja acesso mais fácil, e expandido, à base de dados Whois para registos de domínio da Internet. Ela acredita que as liminares para retiradas devem ser dinâmicas (para ter em conta as alterações nos endereços da web) e transfronteiras para permanecerem eficazes ao longo do tempo.

O pessoal do TorrentFreak, que detectou o lançamento do documento AAPA, diz ainda a óbvia falta de confiança nos sistemas antipirataria implementados por plataformas como YouTube e Facebook.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.