Análise Asus Zenfone 6: A diferença está na câmara

26 Outubro, 2019 2 Por Joel Pinto

O titulo do artigo não podia ser mais directo. O assunto deste artigo é isso mesmo, a nossa análise um pouco mais detalhada do mais recente telefone de topo de Asus, o Zenfone 6.
Para quem não conhece o Zenfone 6, é um telefone que se destaca por não contar com qualquer sensor fotográfico directamente voltado para a frente. Em sua substituição, a Asus optou por fazer um mecanismo que roda as câmaras traseiras, para a frente. E realmente funciona?

Análise Asus Zenfone 6: Design e ecrã

Quando olhei pela primeira vez para o Zenfone 6, gostei do que vi, uma aparência elegante com uma estrutura de alumínio e do revestimento Gorilla Glass 6 na frente e na traseira. E algo que salta logo à vista, é a ausência de um entalhe no ecrã... algo infelizmente já pouco habitual.
A frente do dispositivo é composta quase na totalidade pelos seu ecrã LCD IPS de 6,4 polegadas com uma proporção de 19,5: 9, que ocupa 83,8% de toda a frente, que me parece baixo, uma vez que não tem entalhe.
Tal como já referi anteriormente, a câmara frontal do Asus Zenfone 6 utiliza a tecnologia de câmara flip que está na parte traseira. Assim, a câmara traseira pode funcionar como uma câmara selfie, que é a meu ver o ponto de maior destaque deste equipamento.

Na lateral direita temos um botão dedicado ao Assistente da Google, o botão de volume e botão Power. Essa combinação gerou algum desconforto, porque frequentemente utilizei o botão do Assistente para ligar o equipamento. A Asus poderia ter optado por colocar o botão do assistente do lado oposto, e assim evitaria essas falhas, que apesar de serem culpa do utilizador, são irritantes.
Já na parte traseira, temos um sensor de impressão digital. A colocação do sensor de impressão digital nesta zona é bastante antiquada, ainda para mais tratando-se de um telefone de topo. Olhamos para a grande maioria dos seus concorrentes, e todos eles implementaram a tecnologia de impressão digital no próprio ecrã. Uma vez que o Zenfone 6 não conta com qualquer sensor fotográfico voltado para a frente, quase que nos obriga a utilizar o sensor de impressão digital, uma vez que apesar de termos desbloqueio por identificação facial, o mesmo não funciona de forma como estamos habituados, ou seja, não é só pegar no telefone e olhar para o mesmo, temos de dar alguns passos, para acordar a câmara e que ela rode para frente... que não acho que seja funcional.

Análise Asus Zenfone 6: Desempenho e Software

Tal como a grande maioria dos flagship de 2019, o Asus Zenfone 6 vem equipado com o Snapdragon 855, da Qualcomm. Como deve imaginar este é melhor processador do mercado para smartphones Android, É um SOC que foi fabricando no processo de 7 manómetros (nm), e conta com um processador de oito núcleos e um GPU Andreno 640. A acompanhar o Snapdragon 855, temos 6GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno.

Se procura desempenho em jogos, ou qualquer aplicação que exista... fique descansado porque o Zenfone 6 tem tudo o que de bom o mercado tem para oferecer. Pode jogar os jogos como PUBG Mobile, Call of Duty: Mobile ou Asphalt 9 sem qualquer problema, e com configurações gráficas no máximo. Não creio que exista alguma aplicação ou jogo que faça vacilar este equipamento.

A propósito, o Asus Zenfone 6 tem uma pontuação no Antutu de 391565 pontos. Isso demonstra bem o excelente desempenho que este telefone tem. Segundo a aplicação de Benchmark, este é o segundo smartphone Android mais veloz do mercado, só sendo batido pelo seu irmão ROG Phone 2.

O sistema operativo utilizado pelo equipamento é o Android 9.0 Pie com a interface ZenUI 6 semelhante à versão stock do sistema Android. Os utilizadores conseguem com relativa facilidade utilizar várias aplicações em simultâneo, e não encontramos qualquer tipo de bloatware. Outra boa noticia, é que a Asus já iniciou os testes beta do Android 10 para este equipamento, pelo que em breve ele será actualizado para a versão mais recente do sistema operativo móvel.

Análise Asus Zenfone 6: Câmara

Este é realmente o ponto onde este smartphone de destaca de todos os outros smartphones Android. A Asus optou por usar uma câmara flip que faz com que a câmara traseira do Zenfone 6 possa funcionar como uma câmara frontal. Eu desconfio deste sistema, e não sei até quando o mecanismo vai funcionar em condições. Mas enquanto funciona, funciona muito bem.

O Zenfone 6 não é primeiro smarpthone a aplicar esse conceito de câmara de dupla função, mas o mecanismo aplicado é realmente inovador. Quando os utilizadores querem usar a câmara frontal, a câmara traseira do Zenfone 6 roda automaticamente, e com muita subtiliza.

O seu sensor principal é um Sony IMX568 com 48 MP e abertura f/1.8, já o secundário, é um sensor ultra largo de 13MP com abertura f/2.4. Exclusivamente, essas duas lentes de câmara, quando vistas de perto, são semelhantes aos olhos de uma coruja, que se tornou a mascote do Asus Zenfone.

Há uma coisa interessante, a rotação da câmara do Zenfone 6 pode ser ajustada manualmente pelo utilizador. A modulo em si, é feito em metal e aparenta ser muito resistente. Outro ponto interessante, é o facto da câmara regressar à sua "dock" na parte traseira, se detectar um movimento repentino, se smartphone cair, ou se simplesmente desligar o ecrã do equipamento.
Em termos de recursos, temos o Time Lapse, Slo-Mo, rastreamento de movimento, vídeo, foto, retrato, panorama e o muito aclamado modo nocturno. E o que torna tudo isto muito mais interessante, é que todos esses recursos podem ser usados ​quando a câmara está em posição de "selfie".

A qualidade das suas fotografias durante o dia são excelentes, pois produz fotos nítidas e a saturação de cores não é excessivamente natural. À noite, é melhor usar a ajuda do Modo noturno, que ajuda a reduzir um pouco o ruído, para que os resultados pareçam melhores.
Quando usamos o modo Retrato no modo selfie, existem recursos de beleza adicionais amplamente disponíveis, por exemplo, para os tons de pele.


Já em relação a vídeo, podemos gravar em qualidade até 4K com ajuda do EIS (Electic Image Stabilization) e os resultados são os esperados, ou seja, óptimos.

A titulo de curiosidade, os especialistas em fotografia, do DXOMark, atribuíram 104 pontos a este telefone, que demonstra bem, que este é um dos melhores smartphones para fotografia.

Bateria e outros recursos

A bateria é outro ponto de grande destaque deste equipamento. A bateria deste smartphone está acima da média do que vemos actualmente no mercado, e conta com 5.000 mAh. Esta bateria 'gigante' é alimentada por um carregamento rápido de 18W, Quick Charge 4.0.
Durante toda a experiência que tive quando testei este Zenfone 6, posso dizer que é dos telefones high-end com maior autonomia que já testei. Ao realizar todas as tarefas necessárias, como jogar, abrir as redes sociais, tirar fotos e gravar vídeos, a média de duração foi de cerca de 15 horas, e estamos a falar de uso intenso. E depois temos o seu carregamento, que leva um pouco menos de 90 minutos para carregar a bateria dos 2 ou 3% até aos 100%, que a meu ver é bom.

Asus Zenfone 6

Apesar de não o ter utilizado para esse fim, o Asus Zenfone 6 também pode ser usado como um Powerbank, com o recurso de carregamento reverso de 10 W (USB-C para USB-C) .Este dispositivo também conta com uma porta de 3,5 mm para os fones de ouvido... algo que já começa a ser pouco habitual nos telefones desta categoria.

Veredicto Final

A contrário do que costumo fazer, vou primeiro fazer referencia aos pontos negativos. Desde logo a começar pelo seu sensor de impressão digital. Existe a possibilidade de utilizar o desbloqueio por reconhecimento facial, mas não é a forma mais rápida e simples de a fazer, por isso, a Asus podia ter facilitado e utilizado um sensor de impressão digital no ecrã. A colocação do sensor na parte traseira é tão 2017 que fica mal num excelente equipamento como é este Zenfone 6. Depois o ecrã... compreendo a utilização do um painel LCD para baixar o custo do equipamento, mas em situações com muita luz solar, torna a visibilidade do que se passa no ecrã um pouco difícil. Um ecrã AMOLED ficava tão bem neste equipamento. E por fim o terem utilizado o estabilizador EIS em vez do OIS. o EIS funciona bem, mas o OIS é muito mais eficiente, e uma estabilização ótica é sempre melhor que a estabilização eléctrica.

Mas, além de tudo isso, gostei muito de fazer a análise, e do, Asus Zenfone 6, especialmente da tecnologia da câmara flip e do seu desempenho. O design de smartphone é realmente elegantes e quando temos na mão, nota-se que é realmente muito robusto. Em termos de hardware é tudo aquilo que precisamos num telefone, e a sua bateria, surpreendeu-me muito, e pela positiva.