Análise Xiaomi Book S: Um 2-em-1 com Windows 11

Análise Xiaomi Book S: Um 2-em-1 com Windows 11

15 Março, 2023 0 Por Joel Pinto

Quem tem por hábito ler as reviews aqui do Noticias e Tecnologia, sabe que eu sou um grande fãs dos Surface, os 2 em 1 da Microsoft, quer seja pela sua versatilidade, como por causa da sua autonomia. E há algumas semanas recebi o Xiaomi Book S, que é concorrente para os Surface. Mas será ele um bom concorrente? É isso que vamos perceber com esta análise.

Um dos laptops 2 em 1 mais populares do mercado é sem duvida o Microsoft Surface Pro 8, apesar de o Surface Pro 9 estar a ser cada vez mais popular, apesar da sua verdadeira concorrência ser até agora quase nula. No entanto, a Xiaomi quis colmatar essa lacuna com o Book S. As semelhanças são tantas, que a empresa chinesa seguiu os movimentos da Microsoft ao não disponibilizar o teclado compatível com o seu dispositivo, apesar de poder ser adquirido em separado.

Agora que já estou a utilizar este Xiaomi Book S há algumas semanas, chegou o momento de revelar a minha análise um pouco mais detalhada sobre o mesmo.

E ainda antes de entrar em detalhes, é importante notar que o Xiaomi Book S pode ser utilizado como um tablet, mas também pode ser utilizado como um computador portátil, e para isso só precisa de adquirir um teclado compatível, que é vendido separadamente.

Book S

Confesso que tendo em conta que se trata de um dispositivo 2 em 1, achei o mesmo um pouco pesado e realmente podia senti-lo na mochila quando o transportava. Quando imaginei que iria ter aqui algo mai leve que o meu portátil tradicional, verifiquei que as diferenças não era assim tão significativas. Mas isso acontece por um bom motivo, é que o tablet possui um corpo de liga de alumínio-magnésio, que conta com um design elegante e maduro, abrigando um módulo de câmara de 13MP na parte traseira. No entanto, para facilitar, mantive a tampa traseira conectada ao dispositivo quase todas as vezes que o usei. A tampa traseira e o teclado são feitos de couro sintético e têm uma estética semelhante, com a marca Xiaomi escrita na parte de trás.

Gostei do teclado, apesar de ser menor do que estou habituado a utilizar, e nas primeiras horas tive alguma dificuldade de digitação, até conseguir me adaptar ao mesmo. Depois de habituado verificamos que ele conta com um bom tempo de resposta e uma boa profundidade de tecla. No entanto, em muitas ocasiões, demorou um pouco para que as palavras digitadas realmente aparecessem no ecrã em si, mas essa situação explicarei posteriormente, quando abordar o desempenho do equipamento.

O touchpad também funciona bem e é muito útil, apesar de algumas vezes ter ficado com a sensação que tinha de aplicar alguma pressão no mesmo para destacar o texto ou até mesmo clicar num link.

Em termos de conectividade temos aquilo que é habitual neste tipo de dispositivo, com apenas uma porta USB-C (que funciona como porta de carregamento), um conector de áudio de 3,5mm e um slot para cartão TF. Como necessito sempre de mais portas, durante os meus testes decidi utilizar um dockstation para ter acesso a algumas portas USB-A que ainda muita falta me fazem.

No entanto, fiquei impressionado com o seu áudio. Para um dispositivo pequeno, senti que os seus altifalantes poderiam produzir um áudio alto que soasse consistente e nítido, facilitando assim a vida daqueles que gostam de assistir a séries e filmes. A música soou natural e equilibrada, com notas graves a saírem particularmente favoráveis, algo que me agradou muito.

Ecrã e Câmara

Sem qualquer duvida, a melhor parte do Xiaomi Book S é o seu ecrã, já que ele é realmente a sua mais valia. Embora seja pequeno, já que conta com “apenas” 12,3 polegadas com a resolução 2560 × 1600, ele oferece uma qualidade de imagem realmente nítida. Apesar de se tratar de um painel LCD de 60Hz, e não um painel OLED, as suas cores são realmente vibrantes e lidava com muita facilidade em condições de pouca luz.

Como este é um dispositivo 2 em 1, ele conta com um ecrã sensível ao toque, e confesso que fiquei muito satisfeito ao descobrir que ele era realmente muito responsivo. Consegui facilmente folhear um documento ou ampliar as imagens, e senti que navegar com ele e como um tablet, ou seja, bastante simples, apesar do Windows 11 não ter sido construído com isso em mente.

E se em termos de ecrã este Xiaomi Book S está muito bem servido, fique a saber que ele possui duas câmaras; uma frontal de 1080p e uma traseira com 13MP. Ambos são úteis, mas em termos de casos de uso reais, tirei muito mais proveito da câmara frontal, usando-a para reuniões de trabalho. A verdade é que ela apresentou mais detalhes do que aqueles que realmente esperava, quando até pensava que esses sensores iriam ter alguma problemas com a exposição. Algo que não se verificou.

Embora a câmara traseira fosse uma boa inclusão, parecia complicado tirar uma foto rápida, e claramente para esse tipo de situação deverá utilizar o seu smartphone. Se em condições de boa luz, como no exterior, ele tira boas fotos, em espaços interiores a sua qualidade desce muito.

Desempenho

O Xiaomi Book S vem equipado com um processador ARM, o Qualcomm Snapdragon 8cx Gen 2, que é acompanhado por 8GB de RAM LPDDR4X e 256GB de armazenamento interno. Se com os 256GB fiquei satisfeito, o mesmo não se pode dizer da memoria RAM, em que alguns momentos, depois de algumas horas de trabalho, claramente precisei de mais.

Eu realmente lutei para utilizar este dispositivo para trabalho. O tamanho do ecrã dificultou um pouco essa situação, mas com várias guias abertas no Chrome e com meia dúzia de aplicações de produtividade abertas, como o Microsoft Teams, Outlook, etc… parecia que o laptop não conseguia lidar bem com essas tarefas básicas. Lembra-se quando em cima falei que às vezes escrevia e o texto não aparecia de imediato no ecrã? Era por causa disto.

Quando olhava para o gestor de tarefas, verifique que nem sempre a culpa era somente dos 8GB de RAM, mas sim do processador que lutava para lidar por exemplo, com as 6 ou 7 guias do Chrome que tinha abertas. A verdade é que achei frustrante trabalhar nessas condições.

Além disso, embora o seu ecrã seja adequado para a criação de conteúdo, o seu GPU integrado não oferece potencia suficiente para que seja utilizado como um dispositivo criativo. E confesso que tive alguns problemas para simplesmente reproduzir um vídeo do YouTube enquanto andava a saltar entre as guias do Chrome.

E tal como já tinha revelado, este portátil utiliza um processador ARM, e é ele que aparentemente está a sofrer alguns problemas de compatibilidade com algumas aplicações do Windows, que quando abertas não se comportam como era suporto.

Autonomia

Durante os meus testes o Xiaomi Books S apresentou-se bem neste campo, em que muitas vezes consegui mais de 7 horas de ecrã com apenas uma carga. Não é um mau valor, mas tendo em conta as 8 horas de trabalho, era bom que ele oferecesse um pouco mais de autonomia para que não tivéssemos de andar com um carregado atrás.

Como tal, é difícil de recomendar este Book S para todos aqueles que precisam de um dispositivo para uso profissional. A bateria de 38,08Wh dentro do Book S não consegue competir com a de outros dispositivos semelhantes atualmente no mercado. No entanto, se é um dispositivo que vai utilizar em casa, este problema nem se coloca.

Veredito final Xiaomi Book S

Em termos gerais gostei muito deste Xiaomi Book S, já que assistir a um filme ou série no mesmo, soa muito bem em termos de qualidade de imagem e de som. No entanto, no uso diário durante o trabalho, achei que não satisfazia as minhas necessidades.

A deficiente autonomia, e uma clara falta de desempenho para quem precisa de trabalhar nele diariamente leva-me a deixar um pouco de pé atrás com ele.

Em última análise, embora eu ache que tem um bom design e não posso realmente culpar o seu ecrã, este não é um laptop para trabalhar. Mesmo como tablet não é perfeito, já que executa o Windows 11, e nem sempre parece intuitivo de utilizar, por exemplo como o Android ou o iPadOS. Como tal, prefiro recomendar um tablet com um sistema operativo mais otimizado para navegação por toque.

Como tal, a minha nota para este Xiaomi Book S é:

Este dispositivo foi-nos gentilmente disponibilizado pela Xiaomi Portugal para que a realização desta análise fosse possível. Se quiser, pode aceder à página oficial do produto aqui.

Joel Pinto
 | Website

Fundador do Noticias e Tecnologia, e este foi o seu segundo projeto online, depois de vários anos ligado a um portal voltado para o sistema Android, onde também foi um dos seus fundadores.