Análise Wiko Y62: O baixo custo devia ter limites

Análise Wiko Y62: O baixo custo devia ter limites

9 Maio, 2021 0 Por Joel Pinto

Quer se goste ou não desta marca, a verdade é que uma das fabricantes que mais tem trabalhado para apetrechar o mercado de smartphone da gama de entrada, e de gama média. A fabricante europeia lançou alguns dispositivos durante este ano de 2021, e o Wiko Y62 é um desses equipamentos que hoje vamos deixar aqui a nossa análise.

Design e ecrã

O Wiko Y62 está longe de ser o mais “elegante” dos smartphones que já testamos. Ele conta com uma aparência arredondada que lhe confere um estilo atemporal e uma boa aderência. Além disso, este telefone é construído em plástico (chassi e corpo), no entanto conta com uma boa rigidez, e quando o temos nas mãos temos a perfeita noção da sua solidez e qualidade.

Estamos perante um telefone que ainda permite a remoção da sua tampa traseira que nos dá acesso à bateria e aos 2 slots para cartões SIM, bem como ao slot para cartão micro SD. Em termos de cores, o Y62 está disponível em 2 versões: Dark Blue (a versão testada) e Mint.

O ecrã deste Wiko Y62 é na verdade um painel IPS de 6,1 polegadas com a proporção 19: 9 para o efeito cinema. Infelizmente este ecrã tem apenas a resolução HD+, isso fornece uma imagem cuja nitidez é pouco aceitável (275 pixeis por polegada, contra 300 dpi considerados mínimos necessários para não diferenciá-los a olho nu).

Outra nota que ainda é destaque, é o facto dele possuir uma porta para os fone de ouvido, com 3,5mm. Por outro lado, temos uma porta microUSB que já devia ter sido abolida dos smartphones.

Desempenho Wiko Y62

Este Wiko Y62 conta com um processador que não é muito utilizado, o MediaTek MT6761D, também conhecido como Helio A20. Este é um processador de baixo custo e que deixa muito a desejar, até na própria interface do smartphone.

Como tal, não espere maravilhas deste equipamento nas mais variadas aplicações, mesmo que não seja muito exigentes. Se o SOC já não é forte o suficiente para aplicações, nem queira saber como se comporta com os jogos… ou como não se comporta, porque pura e simplesmente é impossível executar um jogo neste equipamento. Mas temos de ter em atenção que este smartphone não foi desenhado para jogos, e a prova disso é que só conta com 1GB de RAM, que a meu ver é muito pouco para um smartphone lançado em 2021. Quanto há memoria interna, é igualmente baixa, 16GB de armazenamento, que podem ser mais do que suficientes para as necessidades de muitos utilizadores menos exigentes.

Wiko Y62

Estamos perante um telefone que é lento em tudo… mas quando escrevo tudo, é mesmo tudo. Até na navegação entre menus é muito lento, que chega a ser desesperante.

A titulo de curiosidade, habitualmente costumo disponibilizar a pontuação dos smartphones, no teste de benchmark do Antutu. Acontece, que neste equipamento, consegui instalar sem grande dificuldade, mas quando executo a mesmo, alguns minutos após o inicio do teste, a aplicação encerra. Fiz diversas tentativas, mesma após a reposição dos dados de fábrica, e parece ser impossível executar a aplicação neste smartphone.

Software e fotografia

Sem qualquer tipo de surpresa, o Wiko Y62 vem com o sistema operativo Android, a versão 11 e com a sua versão mais leve, que é a Go Edition. De facto, temos aqui um sistema eficiente e completo, sem esquecer que ele amadureceu completamente. E neste último caso, excepto alguns ícones e papéis de parede, não estamos longe de um Android Puro. No entanto, ainda temos a presença de algum bloatware… que era completamente dispensável. Outra coisa que me irrita bastante, é que alem de já possuir bloatware, quando o telefone é iniciado existe uma altura em que ele vai sugerir a instalação de algumas aplicações. Essas sugestões estão relacionadas com as parcerias entre a fabricante e os editores dessas mesmas aplicações.

Como é óbvio, cabe ao utilizador aceitar, ou recusar a sugestão… mas quantas milhares de pessoas instalaram as aplicações sem precisar das mesmas? Isto é completamente dispensável, se os utilizadores quiserem aplicações, utilizam a Play Store… o utilizador ainda nem uso o smartphone e a Wiko já está a sugerir aplicações? Deixem-se disso.

Em termos de qualidade do seus sensores fotográficos, ele conta com apenas um sensor traseiro, com 5MP, que não consegue oferecer um resultado completamente convincente. O efeito bokeh é horrível, tal como a grande maioria das fotografias por si tiradas.

Enquanto isso, o sensor fotográfico frontal, também ele com 5MP, fica um pouco longe do aceitável quando as condições de luz não são as melhores. Sendo um sensor modesto, a qualidade oferecida não é a mais impressionante, e as selfies obtidas em condições de boa luz são bastante aceitáveis, mas em zonas com pouca luminosidade, certamente não serão as que irá querer publicar na redes sociais.

Bateria e outras notas

Este parece ser o ponto de maior destaque deste equipamento. Em termos de autonomia, é simplesmente excelente, longe do que já tinha verificado em outros smartphones da Wiko. Na verdade, este smartphone é capaz de exceder facilmente 1 dia inteiro com o uso intenso, apesar de contar apenas com uma bateria de 3000mAh.

Infelizmente para carregar a bateria, é bom que tenha tempo. É preciso mais de 2h30 para carregar totalmente a mesma.

Este smartphone não conta com qualquer sensor de impressão digital, e o seu reconhecimento facial, para desbloquear o equipamento, deixa muito a desejar. Pelo que até para desbloquear o equipamento terá de ter o seu tempo

Veredicto Final Wiko Y62

Antes de escrever o meu veredicto final sobre este smartphone, fui dar uma olhada para o preço do mesmo, nas mais variadas lojas. E acreditem que só neste momento o fui fazer. Ou seja, estamos perante um telefone que o seu preço ronda os €89. Será que se podia pedir mais para um smartphone por este valor? É muito complicado, mas pessoalmente considero que as fabricantes deviam ser proibidas de fabricar este tipo de equipamento. Por mais 5 ou 10 euros a marca acrescentava mais 2GB de RAM e um processador ligeiramente melhor.

É que Wiko Y62 é um telefone desesperante…. tudo é muito lento, mas realmente muito lento, e acreditem que não estou a exagerar. Abrir uma rede social como o Facebook pode levar qualquer um à loucura, a não ser que seja um utilizador com muita paciência… muita mesmo. Para terem um exemplo, só para abrir a aplicação de fotografia, leva mais de 15 segundos, mas só abrir, porque depois, para a poder utilizar, vai levar o seu tempo.

O ponto mais forte deste telefone é mesmo a sua autonomia, dura facilmente 1 dia, ou 1 dia e meio, de resto, já foi tudo explicado.

A nossa nota para este equipamento não pode ser mais do que: