Análise Samsung Galaxy Z Flip3 - Quase perfeito

Análise Samsung Galaxy Z Flip3 - Quase perfeito

19 Outubro, 2021 0 Por Joel Pinto

Anunciado no passado dia 11 de Agosto de 2022, o Galaxy Z Flip3 é o mais económico dos 2 equipamentos com ecrã flexível que a Samsung anunciou neste ano, já que o outro é o Galaxy Z Fold3. Tive a oportunidade de ter um primeiro contacto com os 2 equipamentos antes do seu anuncio oficial, e tive a oportunidade de na ocasião ter revelado aos responsáveis da Sul Coreana, que o Z Flip3 iria ser um sucesso, e parece que acertei nesse palpite.

Há algumas semanas recebi o equipamento para teste, e rapidamente se tornou no meu principal equipamento do dia-a-dia, e hoje chegou o momento de dar o meu parecer sobre o mesmo. Será que ele realmente tudo aquilo que previa? É o que vamos ver na análise.

Em termos de design, e enquanto o Z Fold 3 se "transforma" num tablet, este Galaxy Z Flip3 "transforma-se" num smartphone com as medidas muito semelhantes às do Galaxy S21 Plus. Ele dobra-se ao meio, em forma de concha, e quando fechado é mais pequeno que uma carteira. E se na primeira versão deste equipamento, quando fechado ele era realmente inútil, no modelo deste ano tudo muda. Ele conta com um ecrã 4x maior do seu antecessor (AMOLED com 1,9 polegadas), onde até podemos utilizar Widgets, mensagens, controlar o Spotify, e muitas mais tarefas. Alem disso, este ecrã externo pode ser utilizado como um ecrã e apoio para a câmara, ou seja, podemos usar os sensores principais como sendo sensores selfie, e todas as vantagens que isso tem.

Outra grande melhoria em relação ao seu antecessor, é o facto deste contar com a certificação IPX8, ou seja, na teoria, podemos mergulhar o telefone a 1 metro de profundidade durante 30 minutos que ele vai sair ileso. E isso mostra os avanças da Samsung, e que a dobra do seu ecrã principal deixou de ser um problema.

Samsung Galaxy Z Flip3

E já que falamos no seu ecrã, o Samsung Galaxy Z Flip3 conta com um ecrã AMOLED, que quando aberto tem 6,7 polegadas com a resolução FullHD+ e taxa de refrescamento de 120Hz. A Samsung classifica este ecrã como sendo um Infinity Flex Display, e que conta com uns excelentes 425ppi.

Ele é tudo aquilo que podemos querer num ecrã de smartphone, e tudo aquilo que a Samsung nos tem habituado. Um excelente ecrã, excelentes cores, e sob luz solar directa não existe qualquer tipo de dificuldade de visualização. No entanto, ainda se vê (e sente) um vinco na zona da dobra. Essa vinco nota-se mais quando o ecrã está desligado, mas quando está ligado quase que não se nota, alem de que em momento algum ele atrapalha a experiência de utilização.

E se em termos de design em ecrã estamos muito bem, em termos de desempenho não estamos pior. Ele é equipado pelo poderoso Qualcomm Snapdragon 888 que é acompanhado por 8GB de RAM. O modelo que recebi conta com 128GB de armazenamento interno, mas existe uma variante (naturalmente mais cara) com 256GB de armazenamento.

Esta combinação dispensa apresentações, e é digna de um topo de gama em 2021. Tem tudo o que precisa para executar todas as aplicações, ou jogo que existem para o sistema operativo Android. Nada o faz vacilar, tudo corre com muita velocidade e fluidez. Como sempre, deixo o teste do Antutu para referencia:

E se está curioso por saber como se comportam os seus sensores fotográficos, vai ficar feliz em saber que têm muito boa qualidade. O seu sistema principal é composto por dois sensores de 12 megapixeis que cobrem a distância focal ampla e ultralarga e têm um desempenho de alto nível em boas condições de iluminação. Em situações de pouca luz, as câmaras do Galaxy Flip3 têm um pouco mais dificuldades, se por exemplo comparado com o Galaxy S21 Ultra, e muito pela falta de uma lente de zoom. Isso significa que as fotos com zoom deste Galaxy Z Flip3 são medíocres, mas no geral o sistema da câmara é muito bom. Tenho dezenas de fotos, e vídeos, capturadas pelo Flip3 e todos eles com qualidade excelente.

Samsung Galaxy Z Flip3

Alem disso, o formato exclusivo do Galaxy Z Flip3 melhora significativamente a experiência da câmara. É que o telefone pode dobrar-se até a metade (em forma de L) e manter a parte superior do ecrã na posição vertical. Isso significa que posso colocar o Z Flip 3 numa superfície plana e tirar selfies, fotos de grupo, ou gravar vídeos sem precisar de algo para apoiar o dispositivo. E para a videochamada é a mesma situação, já que facilmente é feita sem utilizar as mãos.

Já o seu sensor frontal é um sensor e 10MP, que tem boa qualidade, e é mais ou menos aquilo que outros topos de gama da empresa tem para oferecer, que garantidamente não o vai desanimar.

Para manter tudo isto a funcionar, é preciso uma boa bateria, e é aqui que reside aquele que eu considero o ponto menos positivo deste Samsung Galaxy Z Flip3. Estamos a falar de uma unidade de 3300mAh, que a meu ver é pouco. Com utilização intensa, é fácil a meio o dia ficar sem bateria. Em alguns dias fui forçado a carregar a mesma a meio da tarde, senão não tinha bateria até chegar a casa. Nas mais de três semanas em que utilizei o equipamento, raro foi o dia em que por volta das 16 ou 17H não tivesse com a bateria nos 20~25% (acordo sempre às 7 a manha). Alem disso, o seu carregamento não é o mais rápido, já que a Samsung limitou a velocidade de carregamento a 15W. Ou seja, dos 20 aos 100% vai precisar de mais de 1 hora e meia, e em meia hora pode chegar aos 45~50%.

O Galaxy Z Flip3 também conta com carregamento sem fio, mas este é ainda mais lento, e limitado a 10%, e já que falamos em carregamento, apesar de não ter testado, ele conta com carregamento reverso com fio, ou seja, pode recarregar outros telefones, a uma velocidade de 4,5W.

Não menos importante, é o seu sistema operativo, e aqui, temos o One UI 3.1.1, que fez a sua estreia com este equipamento ( e com o Z Fold3). No momento em que este artigo está a ser escrito, ele conta com o patch e segurança referente ao mês de Julho de 2021, a isso é algo estranho por parte da Samsung, já que a empresa tem por habito disponibilizar patchs mensais (o meu Galaxy S20 Plus já tem o patch de Outubro de 2021).

De qualquer forma, o One UI 3.1.1 é para mim a melhor interface Android que temos no mercado, e é baseada no Android 11. Conta com uma interface fresca e organizada, e cheia de recursos que muitas vezes só damos pela sua falta quando usamos equipamentos de outras marcas.

Alem disso, este Galaxy Z Flip3 é um dos equipamentos da Samsung com suporte estendido, já que a empresa prometeu 4 anos de actualizações a partir do seu lançamento, e se tudo correr bem, deverá receber actualizações até ao Android 15, e actualizações de segurança até 2025. Excelente.

E esta análise já está a ser extensa demais, mas não posso deixar de referir que este equipamento tem o seu sensor de impressão digital montado na lateral, que também serve de botão Power. Alem disso, ele conta com altifalantes estéreo com som muito interessante, e tal com a grande maioria dos telefones de gama alta, não temos qualquer problema com a qualidade das chamadas. E não convém esquecer, que o Galaxy Z Flip3 é totalmente compatível com a nova geração de redes, ou seja, o 5G.

Veredicto Final Samsung Galaxy Z Flip3

Se já conhece o primeiro Z Flip fique a saber que este tem grandes melhorias se comparado com esse modelo, e a meu ver o telefone com ecrã flexível mais bem conseguido que chegou até agora ao mercado.

Fechado pode parecer um pequeno estojo e maquilhagem, mas depois de aberto ele comporta-se como um smartphone Android premium, como muitos outros. Muitas vezes em conversa com os amigos, digo que este é um Galaxy S21 Plus mas com a vantagem de se poder fechar, o que torna mais fácil de transportar no bolso ou numa mala, alem de lhe permitir ter maior durabilidade.

Confesso que adoro o equipamento, é que a experiência de utilização que ele oferece, é excelente. É sem sombra de duvida uma alternativa viável, e muito mais interessante, para os smartphones regulares que custam perto dos 1000 euros. No entanto, ainda precisamos de ter algum cuidado com o seu ecrã, já que ele é mais macio do que o ecrã de vidro temperado presente nos telefones "normais".

Ainda assim, este Samsung Galaxy Z Flip3 merece a nossa nota máxima: