Análise Samsung Galaxy A50: Porque vale sempre a pena testar um bom telefone de gama média

12 Setembro, 2019 0 Por Joel Pinto

Nem toda a gente necessita de um smartphone de topo para as suas tarefas diárias, e a pensar nisso, a Samsung criou um linha de equipamentos que promete satisfazer esses utilizadores, a série Galaxy A. No entanto, ao contrário das linhas Galaxy S e Galaxy Note, a série Galaxy A é um pouco mais abrangente, e conta com telefones para quase todas as carteiras. Esta é a linha de equipamentos que agora "assimilou" a antiga linha Galaxy J. E depois de no inicio do passado mês de Agosto termos feito a nossa análise ao Galaxy A70, surgiu a oportunidade de fazermos o mesmo ao Galaxy A50, e como é óbvio, aproveitamos a oportunidade.

Análise Samsung Galaxy A50: Design

Tal como acontece com o Galaxy A70 que testamos anteriormente, o design é um dos muitos pontos fortes deste equipamento. O Samsung Galaxy A50 tem um look realmente muito interessante e moderno. Isso significa que praticamente não há moldura em torno do ecrã, embora ele conte com um pequeno entalhe na parte frontal para alojar a câmara frontal. Mas esse entalhe é tão pequeno, que é quase insignificante.

Tal como nos topos de gama da Samsung, este telefone conta com um pequeno queixo na parte inferior, mas só é realmente perceptível porque os outros lados têm uma moldura quase nula. A parte de trás é levemente curvada, e é construída naquilo que a Samsung chama de Glasstic (Plástico estilo vidro), o que deve torná-lo um pouco mais durável.

análise Galaxy A50
O mais emocionante para um aparelho de gama média, é que conta com um sensor de impressões digitais embutido no próprio ecrã, o que significa que alem do "recorte" das câmaras traseiras, não temos mais qualquer "recorte" no aparelho. Basta pressionar o polegar (ou qualquer outro dedo que configurar) contra a parte inferior do ecrã e o telefone desbloqueia.

Nota de destaque na parte do Design, é que ele continua a ter uma entrada para os fones de ouvido, que está na parte inferior do aparelho.

Análise Samsung Galaxy A50: Ecrã

Se a Samsung é muito conhecida pelos seus telefones, é sobretudo pela qualidade dos seus ecrãs. E aqui mais uma vez temos um painel Super AMOLED, que não decepciona... são 6,4 polegadas com a resolução FullHD + com 2.340 x 1.080 pixeis. E essa "resolução esquisita" por causa da sua proporção de 19.5:9, e que lhe confere 403 PPI de densidade.

O ecrã exibe 100% do espectro sRGB e, no modo básico de cores consegue apresentar as cores com muita precisão. Os outros modos - foto, cinema e adaptativo - são todos um pouco mais vibrantes, mas estão lá para quando é preciso.

análise Galaxy A50
Sendo um ecrã AMOLED, o contraste é perfeito e o brilho também não é muito mau, chegando uma luminância de pico de 560cd/m2 no modo automático (embora chegue aos 350cd/m2 se definir o brilho máximo, provavelmente por poupança de bateria.)

Resumindo, é um ecrã tão bom, ou melhor, do que o que podia esperar para um telefone de gama média. É um ecrã melhor do que os ecrãs que equipam a grande maioria dos telefones desta faixa de preço, e com o bónus de ter um leitor de impressão digital embutido.

Análise Samsung Galaxy A50: Desempenho

Se até agora tenho falado bem de todos os pontos deste telefone, e como se comporta a nível de desempenho? Bem, para quem não sabe ele conta com um processador que é fabricado pela própria Samsung, e estou a falar do Exynos 9610, que conta com um processador octa-core que opera no máximo a 2,3GHz e um GPU Mali-G72 MP3. A versão que testamos conta com 4GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, que podem ser expandidos usando um cartão MicroSD de até 512GB.

No uso diário, nada faz este telefone vacilar. Tudo corre de forma muito rápida e fluída, sem qualquer tipo de problema.
Os testes de benchmark confirmam a minha afirmação anterior, é só olhar para os resultados abaixo, a rapidamente percebemos que temos telefone para basicamente tudo o que precisamos no dia a dia, inclusive jogar.

Instalei, e joguei, jogos como PUBG Mobile, Fortnite e Asphalt 9: Legends, e a diferença entre executar estes jogos no Galaxy A50 e num topo de gama, são mesmo muito poucas.
Para resumir, não consegui usar qualquer aplicação que fizesse este telefone vacilar. E como sei que um termo de comparação é sempre muito bem aceite, em comparação ao Galaxy A70, este Galaxy A50 consegue ter melhor desempenho nos jogos e aplicações.

Análise Samsung Galaxy A50: Bateria

Outro ponto de grande destaque é a bateria de 4.000mAh que tem um bom desempenho. Para recarregar, ele recebe um carregador rápido de 15W, que permite carregar 17% de bateria em 15 minutos e 33% após meia hora no carregador. Nos dias em que mais utilizei o equipamento, ele durou facilmente um dia inteiro, mesmo após uma utilização muito intensa, mesmo com jogo, Wifi, e tudo o resto.
Aqui ele perde para o Galaxy A70, mas esse conta com uma bateria gigante, de 4500mAh.

Análise Samsung Galaxy A50: Software

Tal como todos os telefones mais recentes da Samsung, o A50 vem com o sistema operativo da Google, e com a OneUI 1.1, que é baseada no Android 9.0 Pie. Se já usou a interface anterior da Samsung, esta nova interface de utilizador está anos há frente da anterior. É suave e de fácil utilização e é, na verdade, um dos meus pontos favoritos deste telefone (como de todos os novos smartphones da Samsung)

Análise Samsung Galaxy A50: Som

O Galaxy A50 possui um único altifalante na parte inferior, soa bastante alto quando estamos numa sala pequena, mas não suficientemente alto em áreas movimentadas. Quase não há graves e as altas frequências (agudas) podem ser um pouco irritantes. Os fones de ouvido incluídos também não são os melhores. De facto, a Samsung juntou os mesmos fones de ouvido que vimos em telefones da série Galaxy J, que são os mais básicos possíveis. Temos suporte a Dolby Atmos para áudio com fio e Bluetooth e permite que isso resulte em volume mais alto e uma separação ligeiramente melhor entre os canais esquerdo e direito.

análise Galaxy A50

As chamadas e a recepção da rede funcionaram conforme o esperado. O A50 não teve problemas para se ligar às redes 4G e conseguiu captar excelente sinal mesmo em áreas de baixa recepção. As chamadas feitas no dispositivo são claras e limpas, mas o volume de chamadas deveria ser um pouco melhor, especialmente porque a Samsung também removeu a opção de volume extra para as chamadas.

Análise Samsung Galaxy A50: Câmara

Este telefone conta com 3 sensores na sua parte traseira e um sensor na frente. A câmara principal é na realidade um sensor de 25MP com abertura f/1.7 e é suportada por um sensor ultra grande angular de 8MP e um sensor de profundidade de 5MP com abertura f/2.2.

análise Galaxy A50
Embora as fotografias tiradas com o Samsung Galaxy A50 pareçam muito boas à distância, quando fazemos zoom às mesmas, fica claro que a qualidade podia ser um pouco melhor. Não estou a dizer que as suas fotos são más, mas estou mais uma vez a fazer uma comparação com o Galaxy A70.

Em fotos tiradas em ambientes fechados e com pouca luz, as câmaras são equiparadas, fornecendo imagens cheias de detalhes, cores precisas e muito pouco ruído.
Para vídeo, o Galaxy A50 é capaz de gravar em Full HD a 30fps. Se quiser gravar em 4K ou a 60fps vai ter de escolher outro equipamento (o Galaxy A70 permite os 2 em separado, não em conjunto). Dito isto, a qualidade do vídeo é muito boa e a estabilização da imagem parece boa o suficiente para quem tem as mãos menos firmes.

 

A câmara selfie também merece que seja falada dela. Trata-se de um sensor de 25MP com abertura f/2.0, que a meu ver é um pouco exagerado para uma câmara frontal. Aqui um ponto que de todo não gostei, é o facto de mesmo após ter desactivado o modo beleza, a Samsung insiste em remover todos os detalhes e a "limpar" a imagem (por exemplo rugas), alem disso, insiste em dar um brilho estranho às fotografias.

análise Galaxy A50

No entanto, para resolver essa questão coloquei de parte a aplicação nativa da câmara, e utilizei outra aplicação e o resultado obtido, foi o esperado.

Análise Samsung Galaxy A50: Veredicto Final

Como pode ter lido acima, houve poucos detalhes que não gostei deste telefone. E acredite que é uma posição sincera. Finalmente a Samsung está a seguir o caminho correcto, e a fazer excelentes equipamentos e dignos de uma fabricante de topo.
Um telefone realmente bonito e muito bem acabado, um ecrã espectacular e com sensor de impressão digital embutido, uma bateria muito decente e com um processador e memoria condizentes, fazem deste um dos melhores telefones de gama média que já utilizei.
Obviamente que tem os seus pontos menos positivos, como a câmara frontal que nos deixa com um tom artificial, e disso não gosto mesmo nada. A falta de gravação em 4K é outro ponto menos positivo.

análise Galaxy A50

O som tambem não é o melhor, é que alem de só possuir uma coluna, a sua qualidade poderia ser um pouco melhor.

No entanto, no geral, o Galaxy A50 é um excelente smartphone de gama média, que certamente não vai desanimar quem o comprou ou pensa comprar.

No momento em que esta análise está a ser escrita, fizemos uma rápida pesquisa pela Web, e conseguimos encontrar meia dúzia de locais em que o Galaxy A50 está a ser vendido por pouco menos de €280, e dezenas de locais em que o seu preço está entre os 280 e os €300. Que é um valor muito interessante para o que o equipamento oferece.