Análise Rowenta X-Ô: Que Show na aspiração

Análise Rowenta X-Ô: Que Show na aspiração

30 Junho, 2022 0 Por Eva Bracinhos

Nada melhor que um aspirador de pó para não sermos escravos da nossa casa. E nesse quesito a Rowenta inovou ao anunciar o X-Ô, que se destaca pela ausência de cabo de alimentação. Este último foi substituído por uma bateria que oferece autonomia de 90 minutos, se confiarmos na sua ficha técnica. Além disso, segundo a fabricante, este aspirador deve fornecer tanto poder de sucção como um aspirador trenó convencional, ao mesmo tempo em que beneficia das vantagens de um aspirador de pó convencional.

E nas ultimas semana utilizamos este Rowenta X-Ô que não só é prático, como silencioso, e beneficia de filtragem ciclónica. E hoje chegou o momento de falar um pouco da minha experiência com o mesmo.

Primeiro, este Rowenta X-Ô não passa despercebido. O corpo do aparelho assume um formato arredondado e suas duas rodas principais, tornam o mesmo num dispositivo elegante. A Rowenta não economizou neste ponto, pois equipou o X-Ô com 56 mini-rodas que estão localizadas em torno das duas rodas grandes para proporcionar uma boa manobrabilidade, e que de facto se nota durante as viagens entre divisões.

Muito compacto, o Rowenta X-Ô adapta-se perfeitamente a espaços pequenos, e guardá-la num armário é quase uma brincadeira de criança, sobretudo porque é bastante leve (sensivelmente 6 kg). Portanto, pode ser transportado sem grande dificuldade de uma sala para outra graças à alça dedicada. No entanto, notei que a qualidade do plástico que cobre o aparelho parece ser um pouco fino demais para suportar alguns impactos contra as paredes, móveis ou cadeiras.

Rowenta X-Ô

A verdade é que o X-Ô difere de outros aspiradores pela ausência de um cabo de alimentação. Finalmente não estamos presos por um cabo que nos dificulta muitas vezes a mobilidade, já que ele conta com uma bateria, que acaba por ser a sua maior vantagem. A acreditar pelas palavras da fabricante, esta bateria deverá ser suficiente para aspirar até 140m², apesar de eu nunca ter conseguido esse feito.

Em termos práticos, este Rowenta X-Ô tem bons resultados de sucção, excepto em carpetes de pelos finos. Neste último caso, tende a empurrar os resíduos para a frente e a sua escova escorrega no chão quando o aparelho é colocado em modo Eco, não sendo a potência de aspiração suficientemente elevada. No entanto, colocando no modo Max, aspiramos todo o lixo, mas sacrificamos muito a sua autonomia.

Em chão liso, o modo modo Eco, é mais do que suficiente para aspirar sem grande dificuldade. E se a sua carpete for de pelos grossos, mesmo no modo Eco consegui aspirar sem qualquer dificuldade.

E se já percebemos que o seu poder de sucção é bom, a sua manutenção confesso que poderia ser um pouco mais fácil de realizar. Para esvaziar o lixo, devemos abrir o bloco principal levantar o filtro ciclónico para finalmente termos acesso ao recipiente. Não é difícil, mas gostava de algo mais simples. A boa noticia é que este recipiente conta com uma boa capacidade, cerca de 1 litro, que evita que tenhamos de estar frequentemente a esvaziar o mesmo.

Outra nota de destaque, é que este Rowenta X-Ô utiliza filtragem ciclónica para separar o ar do pó, e por esse motivo ele está equipado com um filtro HEPA que está colocado ao nível do colector, bem como um filtro “pré-motor”. A fabricante recomenda lavar esse filtro HEPA com água e deixá-lo secar completamente antes de o substituir, assim como recomenda trocar o filtro do motor todos os anos, algo que não precisei de fazer durante os meus testes.

E como se trata de um aspirador a bateria é natural que hajam algumas preocupações em termos de autonomia. Tal como havia anteriormente revelado, não consegui aspirar os 140 metros com apenas uma carga, mas isso depende sempre de muitos factores. E empresa fala em autonomia de 90 minutos, e nos meus testes nunca consegui utilizar o mesmo durante mais de 1 hora (misto entre modo Eco e modo Max). Acredito que utilizando apenas o modo Eco seja possível utilizar o mesmo durante 90 minutos, mas na prática é difícil conseguir testar essa situação.

No entanto, consegui testar o seu comportamento quando utilizando a sua potencia máxima durante todo o período. E como não é preciso qualquer cabo de energia, nada como aspirar o carro para testar essa parte: o resultado? Pouco mais de 15 minutos até o X-Ô fica sem folgo. Para ser mais exacto, sensivelmente 16 minutos.

E para recarregar a bateria tem de ter alguma paciência, já que esse processo demora cerca de 3 horas (para 100%).

Não posso terminar a minha análise sem falar do ruído produzido pelo mesmo. Talvez a expressão mais correcta seja o ruído que ele não faz. É verdade, este é provavelmente o aspirador mais silencioso que alguma vez experimentei. A empresa fala em 69dB(A) no modo Max, mas podemos ter facilmente uma conversa lado a lado junto do X-Ô, já que esse é um valor realmente baixo.

Veredicto final Rowenta X-Ô

Este Rowenta X-Ô vai certamente ser do agrado das donas de casa. O seu poder de sucção é muito bom, e o facto de não ter qualquer cabo agarrado vai certamente facilitar a vida de quem o utiliza.

É muito prático e fácil de controlar, e juntando a isso o facto de ser muito silencioso, torna-o num dos melhores aspiradores que alguma vez utilizei, e que passarei a recomendar.

Realmente o ponto menos positivo que encontrei no mesmo, é o facto dos seus plásticos parecerem ser muito sensíveis, mas ele não é feito para ir contra outros objectos.

Como tal, a minha nota para o Rowenta X-Ô é:

Este produto foi-nos gentilmente disponibilizado pela Rowenta para que esta análise pudesse ser realizada. Se quiser, pode aceder à página oficial do produto aqui.

Já deixou o seu like na nossa página do Facebook? Receba toda a informação em primeira mão. Siga-nos também no Google Notícias, basta selecionar-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.