Análise ROG Phone II - O verdadeiro smartphone para jogos

Análise ROG Phone II - O verdadeiro smartphone para jogos

18 Junho, 2020 0 Por Joel Pinto

Numa altura em que se começa a falar sobre um suposto ROG Phone III, achei que era o momento ideal para fazer a minha análise ao ROG Phone II, aquele que é o primeiro smartphone dedicado aos jogos, que faço análise.

Mas será que esta ROG Phone II ainda vale a pena adquirir? Ou é melhor esperar pelo lançamento da terceira versão? É isso que vamos tentar ver nesta análise.

Design e ecrã

Os smartphones para jogos não contam com o design mais "elegante" que podemos querer para um telefone, e este ROG Phone II não é diferente. Ele conta com um ecrã de 6,59 polegadas e o seu design é muito futurista e bem ao estilo de uma "nave alienígena" principalmente por causa da sua parte traseira de vidro. Desde a grade da câmara, ao padrão de microchip, e até ao logótipo em LED, que funciona como uma enorme luz de notificação, a Asus quis ser diferente para ajudar a que este equipamento se destaca-se da concorrência. E conseguiu.

Se tem, ou já experimentou, um laptop para jogos, o acabamento deste equipamento é muito semelhante. E

Assim que pegamos no telefone, o primeiro impacto é que ele é pesado... muito pesado. São 240 gramas, que o torna num dos mais pesados ​smartphones ​já lançados.

Diferente da maioria dos smartphones que estamos habituados, este ROG Phone II oferece um ecrã perfeitamente plana, que não se curva nas laterais, e é algo que me agrada, e ajuda quando estamos a jogar. Este ecrã é na verdade um painel AMOLED, com as 6,59 polegadas, que referi anteriormente, e com a resolução FullHD+, de 2340x1080 pixeis e suporte HDR10. A reprodução das cores é precisa e os níveis de contraste são nítidos. Portanto, imagens, vídeos e jogos parecem maravilhosamente naturais. E como não podia deixar de ser, ele conta com uma taxa de actualização de 120Hz e taxa de resposta ao toque de 240Hz. Sim é isso mesmo, algo que só agora se está a tornar um padrão do mercado, mas que a Asus já o tinha, num telefone que está prestes a celebrar um ano de existência.

Outra boa noticia, é que com este equipamento temos a já muito rara porta de 3,5mm para os fones de ouvido, mas confesso que fiquei impressionado ao usar os altifalantes estéreo incorporados para jogos e filmes. Eles são "disparados" pela frente, para que tenha um som envolvente, sem risco de abafar quando seguramos o telefone com as mãos.

Desempenho, Software e recursos

Os telefones para jogos precisam realmente de um "boost" no que diz respeito ao desempenho, e o ROG Phone II vem com o que é preciso. Este foi o primeiro telefone a ser lançado com o Snapdragon 855+, da Qualcomm, que possui maior poder de processamento e influência gráfica em comparação com o ainda bastante surpreendente Snapdragon 855 encontrado na maioria dos smartphones de topo de 2019. Entretanto o Snapdragon 865 já equipa os principais equipamentos de 2020, e deverá ser esse o processador do ROG Phohe 3.

Jogos como o PubG Mobile, ou Call of Duty Mobile, são reproduzidos nos níveis mais altos de detalhes com uma taxa de frames super estável, como não deverá conseguir em muitos outros telefones. Provavelmente, não verá qualquer desaceleração nos jogos com este telefones nos próximos anos, já que muitos recursos de aumento de desempenho sejam incluídos no ROG por precaução. É uma pena que a Asus também não tenha adicionado o suporte para as redes 5G, já que faria deste telefone, um excelente equipamento para manter durante muito tempo.

Este smartphone permite ainda a utilização de vários acessórios interessantes, como o Kunai Gamepad, ou os úteis Air Triggers, duas áreas sensíveis à pressão na borda do telefone que funcionam como botões de ombro. Eles podem ser mapeados para qualquer botão virtual do jogo e personalizados para reagir a diferentes níveis de pressão. Felizmente, a Asus também melhorou o feedback háptico.

O software do telefone também é dedicado aos  jogadores, incluindo a excelente ferramenta Game Genie, que pode ser configurara a meio do jogo, e conta com uma uma grande variedade de recursos muito úteis: como bloquear chamadas e notificações para que a sessão de jogo seja tranquila. Também permite verificar a taxa de frames e a temperatura actual do processador.

A ROG UI, da Asus, complementa perfeitamente o hardware extravagante deste smartphone. Desde os ícones de aplicações com tons neon até ao papel de parede, é uma interface muito interessante. Também pode optar pelo launcher padrão dos Zenfone, se desejar algo um pouco mais suave. No entanto,temos aqui uma versão ligeiramente alterada, para melhor, do Android 10, já que foi completa com muitos recursos, incluindo um modo escuro, reconhecimento de rosto e reconhecimento de gestos. No momento em que me encontro a escrever esta análise, o telefone contava com o patch de segurança referente ao mês de Abril de 2020.

Como sempre, deixo aqui os testes do Antutu, para se ter um ponto de referencia.

Fotografia

Os smartphones para jogos raramente oferecem uma câmara verdadeiramente impressionante, mas a Asus reutilizou sabiamente o excelente sensor de lente dupla do Zenfone 6 neste ROG Phone II. Essa combinação conta com um sensor principal de 48 MP (Sony IMX586) e um sensor secundário, que é um sensor grande angular. Esta combinação funciona muito bem no dia a dia. Não é o melhor smartphone para fotos, mas tira fotografias verdadeiramente impressionantes.

As fotos que tirei nos meus testes contam com muitos detalhes e, mesmo em condições difíceis de iluminação, conseguimos obtar resultados maravilhosos. O seu modo HDR + pode combater qualquer contraste severo, enquanto o modo nocturno ajuda a iluminar um cenário sombrio - embora, reconhecidamente, não seja tão forte como por exemplo em telefones da Huawei ou da Samsung.

Em termos de vídeo, conseguimos gravar vídeos com resolução 4K em até 60 frames por segundo, e os resultados obtidos contam com uma aparência sublimemente natural. A estabilização de imagem é forte, mesmo no nível Ultra HD, para que possa continuar a gravar enquanto vai caminhando.

Confesso que não esperava tanto destes sensores fotográficos.

Já o seu sensor frontal, tira fotos muito interessantes, e que são mais do que suficientes para utilizar nas redes sociais.

Bateria

Uma área em que alguns telefones para jogos são uma grave desilusão é na sua autonomia. Felizmente, a Asus equipou este telefone com uma bateria de 6000mAh, que permite que jogue sem parar durante muitas horas.

Em condições de uso muito intensas, consegui ter 2 dias de autonomia. Somente em jogo, coloquei um dos meu filhos a explorar todas as capacidades deste equipamento, e a jogar Fortnite, a autonomia chegou a quase 7 horas... sim, foram 7 horas a jogar com uma única carga, que é um resultado excelente.

Análise ROG Phone II - Veredicto Final

Se gosta de jogar no smartphone, então este é um dos melhores smartphones que pode ter. Trata-se de um dispositivo super premium em todos os aspectos, por isso não sai barato. Desde o seu ecrã, ao seu desempenho, autonomia e acessórios suportados, este é um smartphone muito completo.

A parte mais negativa é mesmo o seu peso, mas muito por culpa do seu sistema de refrigeração e da sua bateria gigante, por isso, é inevitável este ponto negativo.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.