Analise Huawei P Smart 2021 - Autonomia quase invencível

Analise Huawei P Smart 2021 - Autonomia quase invencível

7 Novembro, 2020 0 Por Joel Pinto

O nosso artigo de hoje é dedicado à análise ao novo Huawei P Smart 2021, um smartphone que chegou no passado dia 29 de Outubro ao mercado nacional. Depois de 2 semanas a utilizar este equipamento, chegou o momento de revelar a nossa opinião sobre o mesmo.

Design e ecrã

A Huawei durante este ano de 2020, utilizou tendencialmente uma cor verde nos seus smartphones de gama média, que confesso gostar. Por coincidência, a unidades que recebemos para testes, do Huawei P Smart 2021, chegou nessa cor. Este é  sem dúvida um smartphone dirigido a um público que procura um smartphone de grande porte, com um grande ecrã, que provavelmente o utilizará para jogar ou assistir conteúdo multimédia. O seu painel IPS conta com 6,67 polegadas com resolução FullHD +, e como de costume na Huawei, com boa qualidade, e com um bom equilíbrio de cores.

Dada a tecnologia, o sensor de impressão digital teve de ser colocado na parte lateral, na moldura de alumínio, e é grande o suficiente a ponto de ter incorporado o botão Power embutido, que se diga de passagem, que funciona muito bem. Esse mesmo ecrã conta com um pequeno orifício onde está alojado a câmara frontal.

Dadas as suas dimensões, usá-lo com uma mão não é uma tarefa fácil, e as suas 226 gramas também não ajudam nessa tarefa, mas esse peso deve ser provavelmente causado pela enorme bateria que tem no seu interior.

O altifalante superior está colocado perto da moldura (entre o ecrã e a moldura), de uma forma quase invisível, que funciona bem durante as chamadas, mas que infelizmente não é utilizado durante a reprodução de áudio, já que essa tarefa está reservada para o altifalante inferior, que tem uma qualidade decente. No entanto, este equipamento conta com uma porta de 3,5 mm para os fones de ouvido, e no fundo temos ainda uma porta USB Type-C 2.0.

Software

Vamos começar por algo que deve querer saber: o Huawei P Smart 2021 é um smartphone sem os serviços da Google, mas com os bons serviços da Huawei. Não posso deixar de revelar que ele não tem aplicações como o Gmail, Google Agenda, Google Drive, YouTube, Google Fotos, Google Duo, Google Chrome, Google Play Store e nem mesmo é possível instalá-los posteriormente... somente é possível com alguns truques, que vêm do mundo do modding, mas que nada dizem respeito a esta análise.

Em contrapartida, temos os já muito interessantes Huawei Mobile Services. Isso significa que entre as aplicações pré-instaladas poderá encontrará o clássico conjunto de aplicações prontas para substituir quase todas as aplicações da Google. Na verdade, existe uma aplicação de e-mail para gerir o e-mail, Calendário para substituir o Google Calendar, Huawei Cloud em vez de Google Drive e serviços domésticos como Huawei Video em vez de Google Play Video e o Huawei Music Player. Para encontrar novas aplicações e, portanto, compensar a ausência do Play Store, existe o AppGallery que é uma loja oficial, e uma boa alternativa da Huawei que está em rápido crescimento. Com essa loja, que já é a terceira mais utilizada no mundo dos smartphones, podemos instalar a grande maioria das aplicações mais utilizadas em todos o mundo, como o Facebook, o WhatsApp, o Instagram e muitas outras.

No entanto é preciso ter em atenção, se com o seu smartphone actual estiver a fazer backup dos seus dados para a conta Google, não poderá conseguir restaurá-los neste Huawei P Smart 2021, porque ele não possui serviços do Google. O exemplo mais flagrante é a nossa lista telefónica, que habitualmente sincronizamos com a conta Google, mas que aqui não a podemos restaurar.

Dentro da AppGallery existem inúmeras aplicações dedicadas para os utilizadores em Portugal,  como a Vodafone TV, a aplicação bancária do Millennium, do Activo Bank, dos CTT, e muitas outras.

O seu sistema operativo é o EMUI 10.1.1 que é baseado no Android 10, e no momento em que me encontro a escrever esta análise, conta com o patch de segurança referente ao mês de Agosto de 2020. Em relação ao sistema operativo em si, é como sempre digo, o EMUI é das melhores interfaces, com base em Android que existem no mercado, pelo que pouco há a dizer sobre a mesma, já que tem tudo o que de bem o sistema Android tem para disponibilizar.

Desempenho

O Huawei P Smart 2021 é um smartphone de gama média, mas não está mal fornecido no lado do hardware. No seu interior temos o relativamente recente, HiSilicon Kirin 710A, que tem um processador octa-core com 4 núcleos Cortex A71 e 4 núcleos Cortex A53. Ele é acompanhado por 4GB de RAM e 128 GB de memória interna. Para ser simples e directo, ele é capaz de realizar qualquer operação, obviamente com apenas alguns segundos de atraso naquelas operações mais pesadas.

No entanto, este é um processador mais dedicado a economizar energia do que a nível de desempenho e, portanto, adequado para uso prolongado. Como tal, o seu desempenho em jogos mais pesados pode não ser o mais indicado. Testei o Call of Duty Mobile, Fortnite e o PUBG e os jogos são executados, com alguma dificuldade mas são executados. De resto, em redes sociais, e aplicações mais habituais, como em jogos menos exigentes, ele tem um desempenho mais do que suficiente.

Como sempre, deixo aqui os resultados do teste do Antutu para servir de referencia.

Fotografia

A Huawei já tem pouco a provar no sector fotográfico, e neste equipamento a situação também não é diferente. Não tem o desempenho de um topo de gama, mas o seu conjunto fotográfico é composto por um sensor de 48 MP com abertura f/1.8, que é acompanhado por um sensor ultra grande angular com 8MP com uma lente de 120° e abertura f / 2.4, um sensor de profundidade de 2MP com abertura f/2.4, e o ultimo é um sensor Macro de 2MP com abertura f/2.4. Na frente, temos um sensor com 8MP com abertura f/2.0.

Huawei P Smart 2021

Em termos de qualidade, as fotos não são surpreendentes, mas são definitivamente boas para um telefone para esta faixa de preço. Como quase sempre sempre, há uma nitidez bastante acentuada que às vezes corre o risco de estragar a foto, mas isso é algo característico para um telefone que usa a inteligência artificial para melhorar as fotos. Muito bom é o facto de ter um sensor ultra grande angular para ter uma perspectiva diferente, e de forma digital, também pode fotografar com zoom 2x.

Em condições de pouca luz, é onde obviamente ele mais sofre, mesmo contando com modo nocturno, que ainda consegue melhorar um pouco as fotos, mas não consegue fazer milagres. Ainda assim as fotos são interessantes, e certamente não o deixará desanimado. Não espere é um desempenho similar a um topo de gama, já que isso não é possível.

A aplicação da câmara da Huawei é, como sempre, muito completa e oferece muitos recursos, e efeitos, que pode, e deve, usar para enriquecer as suas criações.

Nos vídeos a situação não é muito diferente das fotos, mas infelizmente sentirá falta da estabilização ótica e/ou digital, apesar dele muitas vezes contar com uma nitidez excessiva.

Resumindo, os sensores estão de acordo com aquilo que a Huawei nos tem habituado nos equipamentos desta faixa de preço. Não tem o mesmo desempenho de um telefone topo de gama, mas as suas fotos certamente não o vão desanimar.

Bateria e autonomia

O aspecto mais positivo, e concreto, deste smartphone é sem dúvida a sua autonomia, e o motivo é muito óbvio. A Huawei equipou este equipamento com uma bateria de 5000mAh, que é excelente para um produto desta gama. Depois temos um hardware muito bem balanceado, que é acompanhado por uma optimização de software muito bem conseguida pela Huawei, que regula adequadamente o consumo de energia.

Se juntarmos a isso a ausência das aplicações Google, que são muito criticadas pelo seu grande impacto na autonomia, temos um equipamento que dura facilmente dois dias de uso, e com muito uso. Consegui fazer mais de 8 horas de ecrã, e sem grande dificuldades, ou a poupar bateria. O meu estilo de uso faz com que o Wi-Fi, 4G e Bluetooth estejam sempre ligados, e isso demonstra bem as preocupações (que não tive) com a bateria do P Smart 2021.

O seu carregamento também não é demorado, ele chega com o suporte para o carregamento rápido de 22,5W. Em termos práticos isso significa que podemos carregar a bateria em cerca de 2 horas. Isto se deixar ir até aos 0%, algo que muito raramente permito, já que prefiro desligar o equipamento, a que isso aconteça. Dos 15 aos 100% demora cerca de 1h40 minutos. Não é o mais rápido do mercado, mas a meu ver é bom.

Em 30 minutos de carga, consegui carregar dos 20 aos 56%, ou seja, o suficiente para um dia inteiro de uso. E isto para um equipamento de gama média, não é bom, é excelente.

Este é dos equipamentos de gama média com maior autonomia que já testei. Provavelmente o único equipamento que já testei que igual este P Smart 2021 em termos de autonomia, é o Huawei P40 Pro+ (a nossa análise aqui), mas esse telefone custa 5X mais do que este telefone de gama média.

Huawei P Smart 2021: Veredicto Final

No momento em que esta análise está a ser escrita, o Huawei P Smart 2021 está disponível em Portugal por um preço a rondar os  259 euros, e parece-me ser um valor justo para aquilo que tem para oferecer.

Estamos perante um telefone muito equilibrado, onde a autonomia é realmente o seu ponto mais forte. O ecrã apesar de IPS é muito interessante, tal como o seu sector fotográfico e o seu belo design.

E apesar de a Huawei estar a fazer um excelente trabalho com a sua AppGallery, o ponto menos positivo deste equipamento é mesmo a ausência dos serviços (e aplicações) da Google. Conforme já reportei, a sua ausência também tem benefícios, mas estamos a falar de um ecossistema ainda muito enraizado no Ocidente, ainda não é fácil para todos conseguirem habituar-se à sua ausência. Felizmente, devido ao árduo trabalho da Huawei, essa ausência já começa a ser menos notada, e espero que daqui a mais uns meses conseguir afirmar que os serviços da Google já não fazem falta... mas até lá, este é o ponto menos positivo deste equipamento.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. E se gostou do artigo não se esqueça de partilhar o mesmo com os seus amigos. Siga-nos também no Google Notícias, selecione-nos entre os seus favoritos clicando na estrela.