Análise Days Gone: O jogo do momento para a PlayStation 4

1 Maio, 2019 0 Por Joel Pinto

O Days Gone é um exclusivo Playstation 4 que era amplamente esperado pelos jogadores. Há meses que andava a ser falado pelos mais diversos motivos, e finalmente para os utilizadores ele foi finalmente disponibilizado.

Há mais de duas semanas que já o estamos a joga-lo, e agora que o jogo também já foi libertado para o publico em geral, já vos posso dar a minha opinião mais detalhada sobre o jogo. Se estás com duvidas se deves ou não adquirir o jogo, espero que esta minha análise consiga ajudar-te a desembrulhar essa duvida.

Análise Days Gone - O que é o Days Gone?

Days Gone é um jogo pós-apocalíptico single player de mundo aberto que está repleto de zombies. Trata-se de jogo de sobrevivência que coloca o jogador numa história muito interessante e com objectivos bem vincados. Nele teremos de cumprir muitos propósitos, e para isso teremos de procurar mantimentos e/ou os mais variados recursos para criar armas ou materiais de recuperação de vida.
Ao longo do jogo somos "obrigados" a vasculhar carros e edifícios, com o objectivo de procurar tudo aquilo que nos faz falta para prosseguir na história do jogo. Sejam para as armas, peças da mota, ou qualquer outro objecto que nos permite desbloquear parte da história do jogo.

Não é um género novo, mas é géneros que definitivamente impulsionou esta geração de consolas, e foi com essa base que foram feitos os jogos de maior sucesso das consolas que agora estão a encerrar o seu ciclo.

 

Análise Days Gone - Quando é que a história se desenrola?

Tudo se passa dois anos após o surto do vírus que transformou grande parte da população em zombies, que em Days Gone são chamados de Freakers. Deacon St. John, é o nosso personagem, um ex-militar que agora é um motard fora-da-lei, que tal como muitas outras pessoas, conseguiu sobreviver à pandemia.
A história começa quando Deacon é forçado a separa-se da sua mulher, que é levada por uma equipa de investigação para uma zona segura. Com o lema do bem motard, que nunca deixa um amigo para trás, Deacon tem de deixar a sua mulher partir num helicóptero (onde ele tinha lugar) para ficar a ajudar o seu companheiro Boozer, que sem Deacon não tinha sobrevivido.

Como ficou para ajudar, e salvar, o dia a dia, do jogo desenrola-se em torno de Deacon e Boozer, e os dois fazem aquilo que conseguem para sobreviver. Os freakers na realidade apenas servem de cenário e para dificultar o jogo, pois o verdadeiro foco da história do jogo está na relação entre os sobreviventes do surto.

Análise Days Gone

Análise Days Gone - O jogo

As primeiras horas de jogo, que na verdade são o primeiro olhar sobre o jogo, confesso que são chatas e a progridem a um ritmo mais lento. E provavelmente para nos explicar todos os aspectos do jogo, como e quando utilizar os mais variados recursos. Para quem joga este tipo de jogo pela primeira vez, talvez tenha o ritmo ideal, mas para quem já jogou outros jogos dentro do mesmo estilo, as primeiras horas podem realmente ser cansativas, ou um pouco monótonas.

Ponto chave neste jogo, são as motas. Basicamente este é o nosso meio de transporte, e um elemento fundamental no desenrolar da história.

Este jogo é quase como um filme, em que nós controlamos o actor principal. Praticamente todas as tarefas que temos de realizar com Deacon seguem a sua própria ordem cronológica, e por isso quase que me arriscava a dizer que Days Gone é, acima tudo, um jogo narrativo, e por isso, a "primeira fase" que considero ter um ritmo mais lento, não pode ser ignorada.

Análise Days Gone

Ao longo do jogo, vamos tendo algumas missões secundárias, mas no tempo em que ja joguei, elas foram tão raras, que acabam por ficar para segundo plano. Pois queremos focar-nos no objectivo inicial e prosseguir na história principal. Para aqueles que não têm pressa (ou curiosidade) em acabar o jogo, essas missões podem ser exploradas mais profundamente, e certamente dará mais umas horas de jogo.

As hordas são o maior desafio deste jogo, e explicando de uma forma mais simples, basicamente são grupos de Freakers que quando nos detectam, atacam-nos em simultâneo. Quando maior for a horda, maior é o nível de dificuldade. Podemos encontrar hordas em que meia dúzia de granadas bem colocadas são suficientes para as irradiar, como podemos encontrar outras em que o nível de dificuldade é realmente muito alto, e dão muito mais trabalho.
E estas mesmos hordas é que realmente são uma grande novidade no mundo dos vídeo jogos. Jogos de zombies há muito, mas com hordas não conhecia nenhum. É realmente fascinantes ver uma grande quantidade de freakers a correr atrás de nós, alem de assustador, é algo único. E se pensas que todos o freakers são iguais, e com as mesmas caractristicas, então estás enganado. Até nisto o jogo está muito bem pensado (e executado). Temos diversos "zombies":

  • Os mais frequentes são os Swarners -  zombies de gente adulta. Sozinhos pouca ameaça apresentam, mas em conjunto a história já é outra. Responsáveis pelas hordas, e quando formadas, o melhor é mesmo fugir.
  • Newt – São quase como que crianças zombies, geralmente são menos activos que os swarners, e habitualmente só atacam quando o nosso nível de energia já está mais baixo que o normal, ou quando nos aproximamos demais.
  • Breaker – São so freakers "do ginásio", muito bem musculados e mais difíceis de abater.
  • Screamers – São os zombies que temos de matar o mais rapidamente possível. Estes são capazes de nos atordoar e chamar as hordas. Viste um Screamer? Abate rapidamente, senão vais ter problemas.

E se pensavas que o único perigo deste jogo eram os Freakers, estás mais uma vez enganado. Existem alcateias que nos atacam de surpresa, correndo lado-a-lado com a nossa mota e fazendo-nos cair. Também existem snipers no cimo das árvores e locais mais altos que nos podem surpreender com um tiro certeiro, tanto em nós, como na nossa mota.

Análise Days Gone

Análise Days Gone - Desempenho do jogo

Infelizmente (ou felizmente) não consegui experimentar todos os jogos exclusivos da Playstation, mas uma coisa posso garantir, Days Gone é um jogo graficamente bonito. Nesta quesito, provavelmente o mais bem conseguido no universo Playstation. Cheio de detalhe e muito bem trabalhado pela Bend Studio. Obviamente que o jogo tem os seus problemas de desempenho, quer na PS4 como na PS4 Pro. Tenho jogado o jogo numa PS4 "normal" e é notório que quando fazemos viagens de mota, e esta viaja um pouco mais rápido, e a envolvência tem que se adaptar à velocidade, a PS4 tem uma grande quebra de frames. No entanto está longe de estragar o que é mais importante, a jogabilidade.

E se pensava que quer a PS4 como a PS4 Pro iriam sofrer em demasia com as hordas, então engana-se, pois em momento algum senti quebras acentuadas de frames nessas ocasiões, e confesso que até a mim me conseguiu surpreender.

De um modo geral, e apesar de ter algumas falhas, o desempenho do jogo é muito bom, e todos os pontos que estão com falhas (ou quase todos) certamente serão resolvido através de actualizações de software.

Análise Days Gone - Veredicto Final

É um erro comparar o Days Gone com outros jogos do género, ou dizer que é somente mais um jogo de zombies, pois o jogo tem a sua própria identidade e está longe de ser semelhante a qualquer outro jogo.

A sua história é longa o suficiente para justificar o investimento dos utilizadores, e certamente irá dar muitas e muitas horas de divertimento aos mesmos. As suas missões tendem a ser um pouco repetitivas, mas toda a história de jogo e a sua jogabilidade compensam essas pequenas falhas que podem facilmente ser resolvidas pela Bend Studio.

Definitivamente, Days Gone é um jogo que recomendamos